Grito dos Excluídos 26ª edição: mais do que sempre ‘A vida em primeiro lugar’!

Ano passado, o Brasil vestiu luto no 7 de setembro, a foto é da Av. Paulista – Foto: Telesur

 “Basta de miséria, preconceito e repressão! Queremos trabalho, terra, teto e participação!” Este o lema do Grito dos Excluídos desde ano, em meio à crise econômica das mais severas das últimas décadas. E em plena pandemia novo coronavírus que já ceifou 126.650 mil vidas em seis meses e infectou 4 milhões 137 mil 521 dados do Ministério da Saúde deste domingo, 6.

A 26ª edição do Grito promove atos neste domingo e na segunda-feira, feriado de 7 de setembro. As organizações populares e os movimentos sociais se juntam em atividades presenciais e virtuais, país afora para reafirma a luta por direitos humanos e sociais e pelo #ForaBolsonaro, que deveria incluir o Mourão; são duas faces da mesma moeda podre.

Ações de solidariedade, com distribuição de marmitas e o plantio de árvores são parte das atividades nos sete cantos deste Brasil continental. 

No Recife, a concentração para o ato acontece a partir das 9 horas, no Parque 13 de Maio, seguida de passeata em direção à Praça do Carmo. Os organizados lembram a quem se dispuser a participar a necessidade indispensável de usar máscara para se proteger e ao outro.

O ato prestará homenagem a dom Pedro Casaldáliga, encantado em agosto. Pastor na essência da palavra, dom Pedro dedicou a vida aos povos indígenas e à gente mais humilde, vítima dos conflitos agrários.

Em Belo Horizonte, minha Macondo de origem, o coletivo Não Passará se integra às atividades do Grito dos Excluídos, com concentração a partir das 10:30 horas na Praça da Estação. Quem não se sentir seguro para participar no chão, está convidado para a carreata e buzinaço em apoio à atividade central.

História

A ideia do Grito dos Excluídos surgiu em 1994, durante a 2ª Semana Social Brasileira da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. No ano seguinte aconteceu o primeiro ato em 170 lugares como contraponto às celebrações da Independência do Brasil. O lema central, desde então é “A vida em primeiro lugar”. 

O documento histórico sobre a manifestação explica:

“Mais do que uma articulação, o Grito é um processo, uma manifestação popular carregada de simbolismo, que integra pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos. Ele brota do chão, é ecumênico e vivido na prática das lutas populares por direitos.”

Confira a lista de atividades que serão realizadas por data e localização:

Amazonas

06/09, Manaus: 16h, transmissão ao vivo com o tema: “Perspectiva Revolucionária da Economia de Francisco e Clara nos dias atuais”

Bahia

07/09, Salvador: 15h, transmissão ao vivo 

Ceará

07/09, Fortaleza

06/09, Tianguá: 16h, transmissão ao vivo

Distrito Federal

07/09, Brasília: 9h, Ato no gramado em frente ao Teatro Nacional, na Esplanada dos Ministérios

Espírito Santo

06/09, Vitória: 19h, projeção Mapeada no Convento da Penha, transmissão ao vivo

07/09, Vitória: 8h, celebração inter-religiosa, transmissão ao vivo.

Goiás

07/09, Goiânia: dia de manifestações, transmissão ao vivo, tema Queremos Trabalho, Terra, Teto e Democracia! Basta de Miséria, Preconceito e Repressão!, com a participação de Ermínia Maricato, João Pedro Stédile e Leonardo Boff

Maranhão

07/09, Brejo: 9h, ato na Diocese de Brejo, transmissão ao vivo ()

07/09, São Luís: Ação com a população em situação de rua no Mercado Central à noite

Mato Grosso

07/09, Cuiabá: 18h, celebração ecumênica na Paróquia Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, transmissão ao vivo.

Minas Gerais

07/09, Belo Horizonte: às 10h, qtos simbólicos em: Igreja São Francisco de Assis – Pampulha; Viaduto – Av. Antônio Carlos (próximo a PPL); Viaduto – Av. Antônio Carlos com Av. Abrahão Caram; Av. Amazonas (Mercado Central); Praça da Estação

Pará

07/09, Belém: 8h, concentração do Grito na Praça da República, em frente ao teatro, transmissão ao vivo pela rádio web Idade Mídia e página oficial do Grito de Belém 

Paraná

07/09, Curitiba: 12h, missa presidida por Dom José Antonio Peruzzo, arcebispo de Curitiba, transmissão ao vivo 

Pernambuco

07/09, Recife: 9h, ato público presencial no Parque Treze de Maio

Rio de Janeiro

7/9, Rio de Janeiro: 9h, ato público presencia, rua Uruguaiana com Av. Presidente Vargas, com falações, panfletagem, marcha até o Museu do Amanhã – Praça Mauá com mais falações, panfletagens e performances. Participação – FIST, PCO, Comitê Fora Bolsonaro – Zona Sul/Centro, Casanem, Sindisep-RJ, SindipetroRJ/FNP, PDNM, Bicuda do Bozó, entre outros.

Rio Grande do Norte

07/09, Mossoró: distribuição de cestas com alimentos e materiais de higiene, arrecadados durante a Campanha de Solidariedade, às pessoas em situação de vulnerabilidade social, entre elas imigrantes, com momentos de diálogos e encerramento com mística.

Rio Grande do Sul

07/09, São Leopoldo: 10h, ato simbólico com o plantio de 80 mudas de árvores, em memória às mais de 3,5 mil vidas perdidas na pandemia do coronavírus no Rio Grande do Sul. Transmissão ao vivo 

07/09, Caxias do Sul: 18h, transmissão ao vivo

Rondônia

7/9, Porto Velho: amanhecer com casas com panos pretos e cartazes dos gritos; às 17h, ato presencial cultural no Centro Político Administrativo do Governo do Estado, com no máximo 25 pessoas, participação de representantes dos povos indígenas ameaçados nos territórios, que será transmitido ao vivo pela página da diocese.

Roraima

7/9, Boa Vista: 8h, ato presencial público, concentração do Grito na Praça do Centro Cívico.

São Paulo

07/09, ABC: 15h transmissão pelo zoom, Leitura de mensagem do Frei Betto; A história do Grito; Os excluídos pelo racismo; Os excluídos pelos despejos. Transmissão ao vivo

07/09, Alto Tietê: 9h, missa na catedral com a presença do bispo, do padre Dimas e outros para a reflexão do Grito dos Excluídos; Atividade do Grito, às 11h, transmissão ao vivo

07/09, Aparecida: 9h, celebração da 33ª Romaria dos Trabalhadores/as e do 26º Grito dos/as Excluídos/as, presidida pelo bispo de Aparecida, Dom Orlando Brantes. Participação com banners e com a temática na celebração. A missa será transmitida pela TV Aparecida, Rádio Aparecida e Portal A 12.

07/09, Baixada Santista: 9h, atos nas 5 cidades, em espaços públicos, transmissão ao vivo.

07/09, Carapicuíba: 10h, saída do Parque da Aldeia com destino ao Parque Gabriel Chucre, Via Inocência Seráfico

06/09, Carapicuíba: 15h, “Os gritos do povo por terra, teto e trabalho”, com a participação de Salete Carollo, assentamento Tapes MST/RS, Darcy Costa, Coordenador MNPR, Soledad Pequena, assessora CEMIR, Arnaldo de Negri, Fórum da Sociedade Civil da Saúde e Seguridade Social e do Grito dos Excluídos Continental. Transmissão ao vivo.

07/09, Jundiaí: 9h, a Diocese de Jundiaí realiza o seu 10º Grito dos Excluídos, com uma celebração na Paróquia São José Parque Almerinda Chaves, com transmissão ao vivo.

07/09, Osaco: pela manhã, ato simbólico na Praça Helena Maria

07/09, São Paulo capital: 10h, ato sem caminhada na Praça Oswaldo Cruz, na Avenida Paulista, Fora, Bolsonaro! Queremos Trabalho, Terra, Teto e Pão!

Regional CNBB Nordeste 2 (AL, PE, PB, RN):

07/09, Grito dos Excluídos, das 9h às 12h, 9h – Boas-vindas e Abertura com Diác. Jaime Bomfim – articulador do Setor de Pastoral Social CNBB/NE2); Mística com Zé Vicente; Plenária Os clamores do povo: gritos do Regional Nordeste 2 (cada pastoral, organismo, movimento e escola que compõe o Regional; Exibição do vídeo do Regional; 12h – Encerramento.

*com informações do Brasil de Fato

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s