Sem nada, o Amapá grita por socorro. Quem ouve?

por Sulamita Esteliam

Sem nada

Tributo ao povo do Amapá

O descaso mata.
A indignidade humilha.
A excrescênca abunda.
O crime excede.
A impundade exulta.
A razão desconhece.
O amor resvala.
A revolta ascende.
A esperança foge.
O abandono grita.
E o Amapá arde
na escuridão
do oco
chamado
Brasil.
(Sulamita Esteliam)

O vídeo do Mídia Ninja diz tudo. 
 
Entre em ação para pressionar pela solução do problema, através da Anistia Internacional. Clique e veja como.
 
Hoje não estou pra Jorge nem para dragão. Não sei o que há, mas logo, logo saberei…
Então, fico na poesia. É o que flui de lava própria.
 
Contudo, para não dizer que não vou à concretude dos fatos, compartilho a série de tuites do colega Luis Nassif, logo pela manhã, que explica em detalhes o porquê do apagão no Amapá, que já dura 16 dias.
 
O que você, evidentemente, não vê na mídia comercial. Muito antes pelo contrário.
 
Uma verdadeira aberração, que se explica no desmonte do setor público iniciado no governo Fernando Henrique Cardoso, retomado no desgoverno do vampiro usurpador, Michel Temer, e consolidado no terraplanismo e na  incompetência do desgoverno em curso do capiroto genocida.
 
Por algum motivo que não sei explicar, a incorporação não funcionou. Resta-me transcrever e deixar o link da sequência:
 
“Da inacreditável Globo News sobre o lockout no Amapá: esses problemas existem há vários governos. Não é verdade. O sistema integrado sempre operou com eficiência. Falhou no desmonte de FHC e começou a falhar no desmonte pós-Temer.”
 
“Fantástico! A cupa é da falta de recursos públicos para investir e a aversão do Congresso à privatização. Políticos da região gostam de utilizar as estatais. O sistema do Amapá foi privatizado. Repito: não há filtro de qualidade no canal.”
 
“É evidente a necessidade de impedir interferências políticas nas estaduais. Em vez de discutir formas de impedir, sem desmontar o sistema, fica esse discurso oportunista de falsificar os fatos, gerando fakenews.”
 
“Se vai discutir privatização, o tema central é a apropriação das agências reguladoras pelo setor privado. Em vez de enriquecer o debate fica-se nesse coral de bordões.”
 
“Combate o terraplanismo e a polarização de Bolsonaro e é incapaz de uma discussão desideologizada e técnica de um tema fundamental de segurança nacional: a energia.”
 
“Corrigindo. O sistema integrado foi montado com FHC e falhou quando permitiu que várias usinas já amortizadas jogassem sua eletricidade no mercado livre confiando nas termo. Ali acabou a era da energia competitiva.”
 
“Ouvem a fonte única, Adriano Pires, que diz que a culpa é da Dilma foi ter exigido tarifas baixas na licitação da transmissão em 2008. (Atenção: 2008!). Achava que exigir tarifa baixa era de responsabilidade de toda licitação.”
 
“A vencedora, a espanhola Isolux, entrou em crise na Espanha em 2016. Em 2017 entrou em recuperação judicial. Até 2020 não tinha obtido autorização para vender a LMTE e não era obrigada a investir na manutenção. E tudo isso porque a propriedade privada é intocável.”
 
“Ou seja, a crise ocorreu 12 anos depois da licitação, fruto da falta de fiscalização dos últimos 4 anos, quando todos os esforços se concentravam apenas na privatização. E, porque privatização é a cloroquina da energia, abandonou-se totalmente a discussão do modelo.”
 
“Venderam a empresa para um fundo abutre criado em 2017. E nao exigiram nada, nem investimento, nem manutenção. Ou seja, tudo é negócios.”
 
Assista também no canal TV GGN 20 Hs: Tudo que você queria saber sobre o apagão do Amapá.

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s