De volta ao começo…

por Sulamita Esteliam

Devo desculpas pelos dois dias de ausência no blogue. Meu acesso esteve bloqueado no primeiro dia de retorno à casa, após 20 dias fora do Recife. Quanto funcionou, meados da noite, o cansaço me remeteu ao aconchego da cama, após dois dias puxados. É nessas horas que caímos na real: já não há mais Sula como antigamente, hehehe…

Minha mãe, ao meu lado e ao centro, comanda o ensaio do coral familiar para a celebração dos 60 anos da minha tia Tina, em Beagá - há 29 anos... - Foto clicada por Rosa, resgatada do álbum da prima Gê

Cheguei na madrugada da quinta, dia em que minha mãe completaria 79 anos – 11 anos, quatro meses e 156 dias após ter-se transformado em estrela. Saudades-monstro, diria minha sobrinha de coração, Geiza – que bom ter podido vê-la e abraça-la desta vez!

Havia planejado escrever algo que falasse de vida, pois é disso que se trata sobreviver a quem amamos. Creio que ainda não estou pronta, ainda que tenha vivenciado todo o processo de despedida. Importa que a trago comigo, e isto é para sempre.

(Clique para ler Vida-Morte-Vida, importante texto de Juliana, filha do coração, que pilota o sítio Ser em Relação, além do consultório, e cursos, e palestras, et cetera e tal…).

****************************************

Fazia tempos não sonhava com mamãe. Em Beagá, aconteceu duas vezes, e acordei preocupada. No entanto, se havia algo que dona Dirce tenha querido me dizer, não captei. Quem sabe, tenha apenas me oferecido um pouco de colo – e ando carecendo… – daquele jeito dela, mais se insinuando do que indo direto ao ponto.

Cada um dá o que tem, do jeito que pode e sabe. Obrigada, mãe.

O Dia de Finados foi o derradeiro na minha estada em Beagá, e dediquei-os ao meu casal de filhos, neto, nora e companheiro. Queria muito ter estado, mais ou uma vez , com minhas irmãs, irmão, sobrinhos, afilhados, netos do coração, cunhados, tias, primas, primos e amigos chegados – e são uma legião. Mas o tempo nunca é o suficiente para me repartir dentre todos que amo.

Então, inté…

*************************************

De pau para cavaco: relatei, neste blogue, no início de outubro, minha saga para alterar o endereço da microempresa de assessoria e consultoria em comunicação.

Hoje voltei à Jucepe – Junta Comercial, levando a procuração específica da minha filha-sócia, exigida em 06.10 – conforme mostrado na postagem acima referida e ao lado -, e que aproveitei para trazer de Beagá. Para minha surpresa e alegria, o processo estava concluído  (clique na imagem para visualizar melhor):

“Não está aqui. Pode ir direto à Expedição. Está liberado desde o dia 10 de outubro”, me disse o rapaz da “Exigência”, depois de consultar o computador.

Ao entregar-lhe o protocolo, eu havia provocado: “Oh eu aqui, de novo, capítulo 7!”

****************************************

Ora, ora, ora…

Perdi mais um mês, alguma merreca, mas enfim, resolveu-se.

Agora, ao Corpo de Bombeiros e à Prefeitura do Recife.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s