Blogueiros ‘sujos’ e o viés jornalístico pró-Globo

por Sulamita Esteliam

solar das tarasO Jornalismo tem uma regra de ouro: ouvir os dois lados. Não que isso represente isenção, como ensinam as escolas de comunicação, ou pretendem as linhas editoriais dos veículos para consumo externo. A isenção deixa de existir já na escolha da pauta, agoniza no viés da abordagem e, quase sempre, vai no esgoto na definição da manchete.

É a regra. O mais é história da carochinha para encantar incautos.

Ouvir o outro lado, entretanto, mantém a aparência de equilíbrio, ou denoda algum esforço nesse sentido, pelo menos. Ou isso, ou a transparência, rara, traduzida na clareza em declarar, publicamente, a escolha de um lado. Tal atitude demonstra respeito pelo leitor ou ouvinte, ou telespectador, ou internauta, que não compra gato por lebre.

No mundo dito civilizado, é comum declaração de apoio a este ou aquele candidato a cargo público, por exemplo. Em Terra Brazilis, na dita grande mídia, as exceções – Carta Capital, por exemplo – só confirmam o senso comum. Nesse território, nada é o que parece.

E o campo jurídico não está longe disso. Provam-no episódios recentes, e outros nem tanto, com repercussão na vida nacional.

Toda essa digressão é para introduzir a Nota Conjunta que os Blogueiros “Sujos”* envolvidos em demandas judiciais com a toda-poderosa TV Globo enviou ao sítio Comunique-se.

Assinam, e está reproduzida em seus respectivos blogues (é só clicar), os jornalistas-blogueiros, Rodrigo Vianna/Escrevinhador, Luiz Carlos Azenha/Vi o Mundo, Miguel do Rosário/O Cafezinho e Willian Barros/Cloaca News.

*Para quem chegou agora, ou não é do ramo, traduzo:

1) “Blogs “Sujos” é o nome de batismo atribuído à blogosfera progressista, em 2010, por ocasião do I Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas, em São Paulo. O ex-eterno candidato tucano à Presidência da República, Zé Serra, ou Zé Bolinha de papel é o padrinho.

2) Comunique-se é um sítio que se autodefine como “o maior portal de profissionais de comunicação do país”. Mantém um prêmio anual para “os melhores” profissionais da mídia convencional no Brasil.

3) PS: este blogue é “sujo” de nascença.

 

Eis a nota – que busquei e não encontrei publicada no portal destinatário, até a publicação desta postagem, às 19:02 horas:

Ao Comunique-se:

Considerando que o Comunique-se é um veículo voltado para jornalistas, que não se apresenta como patronal e que respeita a verdade factual, esclarecemos:

1. Somos processados pelo atual diretor de Jornalismo da TV Globo, Ali Kamel, por motivos diversos. Um deles, relacionado à exibição, pelo blog Cloaca News, de Porto Alegre, de um vídeo com cenas do filme Solar das Taras Proibidas (1984).

2. Como pode ser comprovado pelos créditos iniciais da película e pelo cartaz original da obra, anexo, o elenco masculino do filme é encabeçado pelo ator identificado como ALI KAMEL, homônimo do atua diretor de Jornalismo da influente rede de TV, e não Alex Kamel, conforme noticiou o site Comunique-se. O nome Alex Kamel figura em uma ficha catalográfica do site Cinemateca Brasileira, do Ministério da Cultura.

As cenas iniciais do filme Solar das Taras Proibidas, com os respectivos créditos, podem ser vistas neste link: http://goo.gl/lFCo8Z.

Captura de Tela 2013-04-23 às 20.41.41

Como, desde sempre, o foco de nossa piada era a homonímia, está claro que ela existe em relação ao nome que aparece nos créditos do filme.

3. A despeito do caráter satírico de diversas postagens, em momento algum houve qualquer afirmação ou cogitação de que o ator e o jornalista pudessem ser a mesma pessoa. No entanto, o fato deu oportunidade para uma crítica bem humorada, apesar de mordaz, ao jornalismo da TV Globo, prática legítima em um ambiente democrático e de respeito à liberdade de expressão.

4. As críticas que fizemos a Ali Kamel, o diretor da TV Globo, não foram pessoais, mas ao jornalismo dirigido e praticado por ele.

5. Ali Kamel é um figura pública, dirigente da maior emissora de TV da América Latina, uma das maiores do mundo. Escreveu artigos e livros. Um deles, Não Somos Racistas, foi badaladíssimo e formou opinião contra a implementação de cotas raciais no Brasil. Kamel também criticou aspectos do programa Bolsa Família.

6. Uma figura pública pode e deve ser criticada, especialmente quando atua em uma emissora de televisão que é concessão pública e influencia a opinião de milhões de brasileiros. Chama-se liberdade de expressão.

7. Habilmente, advogados de Kamel retiraram as críticas feitas a ele do contexto político em que se deram, focaram na piada referente ao filme. Estamos certos de que conseguiremos reverter as sentenças dadas até agora no Rio de Janeiro, sede da poderosa Rede Globo.

8. Independentemente do resultado das ações, no entanto, estamos felizes de ter atuado em defesa de programas hoje aceitos pela grande maioria dos brasileiros, como o Bolsa Família e as cotas para negros nas universidades. Elas ajudam a diminuir a histórica desigualdade entre os brasileiros, que se aprofundou durante a ditadura militar, que ascendeu ao poder há 50 anos, com apoio e tendo como uma das principais beneficiárias a Rede Globo.

Assinado por:

Luiz Carlos Azenha: blog Viomundo (viomundo.com.br)

Miguel do Rosário: blog O Cafezinho (ocafezinho.com)

Rodrigo Vianna: blog Escrevinhador (www.rodrigovianna.com.br)

Willians Barros: blog Cloaca News (cloacanews.blogspot.com.br)

***************************************

Postagem revista e atualizada às 19:05 e às 22:06 do dia 20.02.2014 e às 12:03 do dia 21.02.2013.


Um comentário sobre “Blogueiros ‘sujos’ e o viés jornalístico pró-Globo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s