De olindense para pinheirense: “Basta de violência. Basta de humilhação!”

por Sulamita Esteliam
Charge do Latuff, capturada no Sintonia Fina

Meu amigo do coração, de labutas, crenças e lutas, Ruy Sarinho, me envia missiva, à guiza de comentário na última postagem deste blogue sobre a barbárie de Pinheirinho, em São José dos Campos. Tomo a liberdade de reproduzi-la na página principal, para que todos possam ter acesso, sem trabalho. Sei que ele não se avexará.

No wordpress é fácil não perceber a porta que leva aos comentários das postagens. É preciso clicar no ícone, discretamente localizado ao pé de cada uma.

****************************************

Vamos lá – em 25.01.2012:

Amiga Sulamita Esteliam,
Vá desculpando o meu linguajá.

O pior e mais atroz de tudo isto é encontrar indivíduos, ditos pessoas humanas, que ainda encontram justificativas para o extermínio de pobres, de indigentes, como essa moça do facebook que você citou e que defendeu a ação vergonhosa, imoral, como o combate ao tráfico.

Essa moça deve se sentir superior à condição de gente dessa gente esmagada de Pinheiro.
Coitada!

A maior culpada pelo tráfico de drogas e crimes correlatos, no Brasil, é a nossa burguesia, a granfinagem endinheirada que sempre realizou seus bacanais, a princípio, com a romântica maconha e, depois, o cheiro do pó.

Quantos políticos da fina-flor da nossa elite, intelecutais escovadinhos, artistas e novos ricos não foram atrás de uma droguinha para preencher os vazios de suas vidas?
Aqui, na minha província, tenho inúmeros casos pra contar.

Tinha um colega, numa das faculdades que cursei, que se vangloriava em assessorar, em Brasília, um poderoso e silencioso político pernambucano e de presenciar o time de assessores se divertirem na Capital, com muito uísque rótulo preto, uma fumacinha e, provavelmente, o famoso pó branco.

Noutra ocasião, uma amiga minha chegou de uma festa no apartamentozão de um ex-político de família famosa, no Estado, contando que estava num dos andares da mansão e o anfitrião já chegou convidando-a para uma trepada.

Ela perguntou pela companheira dele e foi informada de que a mesma já estava no andar de cima, nos braços de outro, tudo movido pelo cheiro de cocaína e pela maconha.

Putaria é muito bom!

E eu gosto!

Mas não precisa de droga como combustível.

Conto esses fatos para mostrar que não foi a pobreza, a miséria, que incrementou o tráfico de drogas no País. Muito pelo contrário, essas classes são as maiores vítimas, usadas pelos granfinos.

Quem financia e sempre financiou o tráfico foi a burguesia brasileira, que tem o dinheiro para pagar as drogas mais refinadas, mais caras, e que, por consequência, as que geram maior violência, mais crimes.

O caso de Pinheiro não passa de especulação imobiliária, de grilagem de terra – que é crime – e não é produzida por pobres, mas sim pelos mais ricos deste País que financiam políticos escrotos, assassinos, sejam pela ação, ou pela omissão.

Esses grileiros produziram suas riquezas com o crime, com mortes, expulsando os verdadeiros donos da terra de seu chão, coisa ainda em vigor em quase todas as regiões do Brasil.

E a maioria desses grileiros ainda é chamada de doutor, ou doutora.

Minha solidariedade à toda essa gente simples de Pinheiro.

Basta de violência. basta de humilhação!

E que São Paulo, que o Brasil, tenham vergonha na cara para botar os grileiros de terra na cadeia, que é o lugar desses filhos-da-puta-sociais.

Um abraço a essa Gente de Pinheiro.

Ruy Sarinho
Olinda/PE

Um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s