Mexidão: sobre música, comunicação e política

por Sulamita Esteliam

Luis NassifPara variar, estou atropelada pela agenda, e vou perder o sarau com Luis Nassif na Casa da Cultura, no Funcionários, em Belo Horizonte, no próximo sábado. Vai reunir, dentre outros, os violinistas Juarez Moreira, Silvinho Sete Cordas e Oscar Mesquita, este último primo de Nassif, conta em seu blogue. A partir das 20:00 horas.

Também não poderei assistir à palestra que ele faz sobre o papel das redes sociais no Brasil – aqui e na imagem mais abaixo. Trata-se prévia do lançamento da seção mineira do Centro de Estudos de Mídia Barão de Itararé, no auditório do Sinpro (Sindicato dos Professores) na Floresta, sexta à noite.

No início da semana, Nassif esteve no Recife, convidado do Congresso Internacional sobre os 50 anos do Golpe no Brasil – aqui neste blogue. E lá também participou de dois saraus. Não pude comparecer – ao debate, pois do sarau só tive notícias hoje. Euzinha estava nos preparativos de viagem para Beagá.

Agora, ele, que é mineiro de Poços de Caldas, desembarca na terrinha, e eu sigo para São Paulo, seu atual território – além de Brasília -,  exatamente nesta sexta.

Luiz Nassif é jornalista, blogueiro e analista econômico, pioneiro no jornalismo de servi;os nessas plagas. Atualmente está no ar como comentarista no Repórter Brasil, da TV pública Brasil, da EBC – Empresa Brasileira de Comunicação. É craque também na música instrumental: faz miséria com o cavaquinho e violão.

Portanto, se você é ou está em Belo Horizonte, não pode perder.

logo encontro barao

**************************************

Enquanto isso, na Câmara dos Deputados, o projeto do Marco Civil na Internet permanece refém da chantagem política e da pressão do poder econômico. Aliás muito bem traduzidos na insólita, mas não surpreendente, aliança entre o PMDB, do vice-presidente Michel Temer e a oposição da direita.

A propósito, continua aberta a petição capitaneada pelo músico, compositor, cantor, homem multimídia e ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil, no Avaaz, em favor da aprovação do projeto pela internet livre e democrática, a salvo do estelionato das teles. Para assinar, clique.

Na mídia nativa – a televisa, pelo menos, que tenho acompanhado nas últimas 24 horas – nem uma palavra a respeito. Mas todos os holofotes para o motim da bancada peemedebista a convocar ministros de Estado para “se explicarem” ao excelsos representantes do povo. É de embrulhar o estômago…

Também, as pretensas lições que os economistas do Plano Real querem dar sobre desenvolvimento do país, que completa 20 anos. É tudo o que podem comemorar, pois que estes senhores, rentistas, baluartes do “deus mercado”quebraram o país três vezes, entregaram de bandeja o patrimônio nacional, e deram aos brasileiros oito anos de inércia total.

Querem impingir aos governos do PT a pecha da década perdida que lhes cabe como barrete, luvas e botas.  Os dados estão aí para quem se disponha a checar. A quem acham que enganam?

Sempre há quem acredite em renas e no “bom velhinho”, afinal. Mas, é como se diz lá no Recife: iludido é pior do que doido.

 


Um comentário sobre “Mexidão: sobre música, comunicação e política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s