De oportunismo, conservadorismo e manipulação

por Sulamita Esteliam
Charge capturada no Conversa Afiada
Charge capturada no Conversa Afiada

Comecemos a semana com um vídeo. Trata-se de uma conversa da jornalista e colunista Hildegard Angel, que os amigos tratam carinhosamente como Hilde. Fala sobre o oportunismo e o conservadorismo da imprensa brasileira, históricos, mas que hoje se estende a boa parte dos jornalistas, sobretudo aqueles que têm passado de esquerda.

Triste e indigesta verdade.

Deu-se no Centro de Estudos de Mídia Barão de Itararé, em São Paulo, por ocasião do lançamento de livros dos colegas Palmério Dória, Golpe de Estado; e Emiliano José, Lamarca, O Capitão da Guerrilha.

O colega blogueiro, Ênio Barroso Filho, recém chegado de Cuba, onde ficou alguns meses em tratamento de saúde, gravou e postou no Youtube.

Hilde é filha de Zuzu Angel, estilista mineira que, em plena ditadura, encarou os militares em busca do paradeiro, e depois do corpo, do filho Stuart Angel, opositor do regime. Pagou, ela também, com a vida.

A colunista carioca esta aí para não deixar que esqueçamos como a banda toca.

Encontrei na Rede Brasil Atual. Vale conferir:

 

 

Ainda sobre oportunismo e manipulação golpista, agrego três links de postagem no Conversa Afiada:

Dilma, desiste, com o PIG não tem acordo

O golpe tucano doa a quem doer 

Delfim: Uma conspiração em marcha

 


Um comentário sobre “De oportunismo, conservadorismo e manipulação

  1. Minha Amiga-Irmã Mineiribucana Sulamita Esteliam,
    Emocionante, Belíssimo, Verdadeiro, este depoimento de Hildegard Angel.
    Do Caralho!!!
    Concordo com Ricardo Boechat, quando disse que tem fala, frase, que tem que ter um palavrão para se dizer o que achamos.
    Um negócio desse eu só consigo acessar mesmo é no Blog de Sulamita Esteliam.
    Hildegard falou com a sua alma, com a alma de brasileiros que nunca se prostituirão.
    Quanto a oportunismo, acho que não é oportunismo, é pura prostituição da pensa, das ideias, do pensamento. Prostituir-se ao conservadorismo endinheirado, que não quer a maioria tendo acesso social.
    Quer sempre a Casa Grande e a Senzala! Perpetuadas.
    Arnaldo Jabor, para mim, é um desses.
    Na nossa província, fico envergonhado quando ouço colegas que no passado diziam ser de esquerda, porque valia a pena, dava status, hoje amaldiçoarem tudo o que é conquista social perseguida por décadas e somente alcançadas quando o pau-de-arara pernambucano, de Caetés, Luiz Lula Inácio da Silva, conquistou a Presidência nos braços do povo brasileiro e tornou-se, e ainda é, a maior liderança que este Brasil de séculos de injustiças sociais conheceu, e conhece.
    Nosso amigo e colega, escritor e jornalista, Urariano Mota, disse certa vez que tem colegas que se vendem por uma coxinha e uma Coca-Cola.
    Mas, uma minoria desses de hoje, é verdade, se prostitui por posições e por muito dinheiro, enquanto a grande maioria continua se vendendo por coxinha e pelo refrigerante que mais mata de câncer.
    Para essa gente, não existem princípios, valores pessoais.
    Serão esses os novos dedos-duros de um possível novo golpe?
    Vou enviar este emocionante depoimento de Hildegard Angel para meus filhos, minha companheira, noras, amigos e para o um neto de quatro anos, para ele ouvir quando começar a entender como o homem pode se prostituir, não pela carne, mas pelas ideias, pelo pensamento, como esses globais prostitutos da vida.
    Viva Hildegard Angel!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s