O exemplo de Clara, uma escritora mineira

por Sulamita Esteliam
Encontro com Clara Arreguy: lançamento do Catraca Inoperante em BH, 2011
Encontro com Clara Arreguy: lançamento do Catraca Inoperante em BH, 2011

No Dia Nacional do Livro, bem que gostaria de anunciar que meu último romance, escrito há 10 anos, finalmente ganha publicação. Entretanto, creio que terei que fazer como a amiga jornalista e escritora Clara Arreguy: ir à luta,  criar uma editora e vender meus próprios livros. Projeto para o ano que virá, eu prometo.

Sinceramente, cansei. E não adianta me lamuriar e chorar pelos cantos.

O livro foi recusado por várias editoras, perdi a conta; algumas sequer responderam. E olha que a temática do inédito é atualíssima, violência contra a mulher.

Trata-se de uma história de assédio, perseguição, paixão e morte.  E luta desesperada da família por justiça.

Uma morte anunciada de uma jovem pernambucana, pobre. O algoz, ninguém mais, ninguém menos que seu parceiro; que o fez na frente do filho, um bebê de 3 anos, e com requintes de sadismo: usou fogo. Dominava mito bem o elemento. O rapaz era do Corpo de Bombeiros.

****************

Voltemos à Clara Arreguy, que fez muito bem:  criou sua Outubro Edições, que botou na praça os seus livros. Outubro, seu mês de nascimento, dá nome à editora independente.

capa-sigasetasA última conversa que tivemos foi em fins de janeiro, pelo FB. Ela me ofereceu o último livro, Siga as Setas Amarelas, o quarto romance de uma cronista de primeira. E me contou, brevemente, a empreitada.

Os três primeiros livros publicou através de diferentes editoras – Segunda Divisão (Lamparina, 2005); Fafich (Conceito Editorial, 2005) – da série BH a Cidade de Cada UmTempo Seco (Geração Editorial, 2009). Mas os últimos três “eu mesma fiz, diante do desinteresse da indústria editorial”.

Tenho de Clara a primeira edição do livro de crônicas Catraca Inoperante (2011), já editado pela Outubro, e inovando: três capas alternativas, num belíssimo trabalho gráfico. Estava em Beagá quando do lançamento; comprei para mim e para presentear. A edição de 2014 agrega audiolivro.

catracaRádio BeatlesCatraca Inoperante reúne  as crônicas que a jornalista escreveu para o Estado de Minas e, depois, para o Correio Braziliense. Há, também, Rádio Beatles (Outubro, 2012), outro romance.

O texto ágil, leve e inteligente de Clara, cronista e romancista, é para degustar.

Siga as Setas Amarelas pedi pelo correio eletrônico e recebi pelos Correios, rapidamente. Chegou com recado, bem objetivo, à guiza de dedicatória: “Não deixe nada na gaveta; nunca mais.”

Li quase que de uma sentada o novo livro de Clara. Uma história de aventura, de pessoas malucas por bicicleta, pelos caminhos de Santiago de Compostela. Mulheres maduras e eternos Peters Pans, amor, família, amizade, relacionamentos em teste. Todas as complicações da convivência, em especial fora da nossa zona de conforto.

Tinha tudo para ser uma leitura chata, tipo roteiro de viagem. Mas você mergulha no texto convidativo, pedala as emoções, sente as dores, sofre e ri junto; começa e não quer parar, e só pára no ponto final.

Devia uma postagem no blogue a respeito. Escolhi o Dia Nacional do Livro, em homenagem ao aniversário da Biblioteca Nacional, herdeira da Real Biblioteca, fundada em 29 de outubro de 1810 – mas só franqueada ao público em 1814.

Clara Arreguy trabalha em Brasília há alguns anos. Conhecemo-nos nas lides sindicais, e ela terminou me sucedendo na Diretoria de Base da Federação dos Jornalistas em Minas. Isso no século passado. Foi ela quem escreveu, também, a primeira crítica publicada sobre meu livro de estreia, em 1998 –  no Estado de Minas.

Na verdade, Estação Ferrugem, Vozes, é o único livro que logrei publicar, e em uma edição de baixa tiragem.

Conta a história da região operária de Belo Horizonte/Contagem, do final dos anos 40 até a segunda metade dos 90. Contada pelo cotidiano de lutas, da vida sua gente. Resgata greves históricas e a atuação dos sindicatos na resistência à ditadura civil-militar de 1964. Muitos dos personagens estão por aí, na ativa, nos quadrantes deste nosso Brasil.

Disponível nos sebos, encontrados nas livrarias virtuais, para quem se dispor a ser.

Já os livros de Clara Arreguy podem ser encomendados diretamente à escritora, via correio eletrônico: clarreguy@yahoo.com.
O Siga as Setas Amarelas custa R$ 30,00 mais despesas de postagem.

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s