Barbárie em Curitiba: dois feridos no acampamento por Lula Livre atacado a tiros durante a madrugada

Foto: Claudio Kbene
por Sulamita Esteliam

O Acampamento Marisa Letícia, que dá sustentação à Vigília Democrática Lula Livre, em Curitiba, foi atacado a tiros esta madrugada. Duas pessoas ficaram feridas, uma delas, um militante de São Paulo, com um tiro no pescoço.

Prova de que vivemos em Estado de Exceção. Na democracia não há lugar para barbárie.

A pergunta é: cadê a segurança oficial, obrigação do Estado, e parte do acordo que removeu os acampados das imediações da sede da Polícia Federal? Quanto vale a vida das pessoas quando elas não rezam pela cartilha dos governantes?

Mais de 20 tiros foram disparados. Poderia ter sido mais uma chacina. Carros passaram ao longo de duas horas, para lá e para cá, em frente ao acampamento no Bairro Dona Cândida, berrando xingamentos de toda sorte, contam os acampados, que trancaram a rua em protesto contra a violência.

A polícia só chegou pela manhã. Consta que antes da presença oficial, uma viatura esteve no local, policiais desceram, recolheram capsulas no chão e bateram em retirada.

Registre-se que é o quarto ataque a apoiadores de Lula em um mês, o segundo a bala. Isso sem falar na execução de Marielle Franco e Anderson Gomes, até hoje não esclarecida, e de dezenas de outros atentados a lideranças dos movimentos sociais que resultaram em morte nos últimos tempo.

Relembremos os alvos recentes ligados a Lula:

  • o atentado à Caravana Lula Pelo Brasil no Paraná, no fim do mês passado, até hoje impune;
  • a truculência das polícias Federal e Militar às pessoas da vigília que aguardava a chegada do ex-presidente à sede da PF, na noite do sábado 7 de abril, que deixou vários feridos;
  • o espancamento de acampados do Marisa Letícia, semana passada, por torcedores locais a caminho do estádio;
  • e agora o tiroteio, que deixou dois feridos.

As autoridades esperam um cadáver para agir? Ou a ideia é exatamente essa!?

No momento em que escrevo, parlamentares e lideranças políticas e dos movimentos sociais se revezam em apoio à Vigília Lula Livre e aos acampados, e cobram providências das autoridades locais. Assista ao vivo:

Transcrevo a Nota da Vigília Lula Livre sobre o atentado

A vigília Lula Livre e as diversas organizações que a integram repudiam de forma veemente o ataque a tiros contra o acampamento Marisa Letícia, ocorrido na madrugada de hoje (28) e que resultou em duas pessoas feridas, uma delas de forma grave, com um tiro no pescoço.

A sorte de não ter havido vítimas fatais não diminui o fato da tentativa de homicídio, motivada pelo ódio e provocação de quem não aceita que a vigília é pacífica, alcança três semanas e vai receber um Primeiro de Maio com presença massiva em Curitiba. Não nos intimidarão!

No fundo, é uma crônica anunciada. Desde o dia quando houve a mudança de local de acampamento (17), cumprindo demanda judicial, integrantes do movimento social haviam sido atacados na região. Desde aquele momento, a coordenação da vigília já exigia policiamento e apoio de viaturas, como foi inclusive sinalizado nos acordos para mudança no local do acampamento.

“Nós desmanchamos o acampamento cumprindo ordem oficial. Fizemos a opção de ir para um terreno e seria garantida a segurança. Agora o que cobramos da Secretaria de Segurança Pública é investigação, que identifique o atirador”, enfatiza Dr Rosinha, presidente do PT estadual e integrante da coordenação da vigília.

Seguiremos com nossas atividades, lutas, programação e debates da vigília. A cada dia vai se tornando cada vez mais impressionante como, mesmo preso, a figura do ex-presidente Lula, a força moral que ganha, as denúncias contra a injustiça de sua prisão, tudo isso causa desespero nos seus algozes.

Por isso, estamos no caminho certo e venceremos! Em repúdio contra a violência, realizamos o trancamento da rua na região e seguiremos lutando.

Convocamos a sociedade e as pessoas que prezam pela democracia, pelo livre direito à expressão, pela diversidade de vozes na política, que somem-se a nós na vigília. Não aceitaremos tentativas de retrocesso que já nos custaram muitas lutas e vidas.

Vigília Lula Livre, 28 de abril de 2018

Da redação da Agência PT de notícias

A presidenta do PT, Gleisi Hoffmann gravou um vídeo logo pela manhã, quando se dirigia para o Aeroporto de Brasília onde embarcaria para o Chile, em missão oficial.

Ela condena o ataque e responsabiliza aqueles que incitam o ódio contra Lula, o PT e as esquerdas:

 

PS: O presidente do PT do Paraná, deputado Dr. Rosinha e outras lideranças do partido no estado, falaram com a imprensa no início da tarde. A entrevista ocorreu à saída de encontro com autoridades da segurança pública estadual, para garantir a proteção dos acampados.

Dr. Rosinha responsabilizou a Polícia Federal pela escalada de violência, sempre contra os militantes da esquerda, do PT e dos movimentos sociais, quando recebeu a bala os manifestantes pró-Lula na noite do 07 de abril.

Isso quando, quem disparou rojões contra o helicóptero que trazia Lula, e potanto atentou contra a vida dele, dos pilotos e agentes que o acompanhavam  foram os do contra.

“Faço apelo para que a disputa política seja feita sem violência. Não agredimos, nossas manifestações são pacíficas. ”

Eis o vídeo:

E na mídia venal televisada, apenas silêncio. Melhor o clima ameno de Londres.

*******

Postagem revista e atualizada às 14:30h e às 15:26H: adição do último vídeo e da frase de encerramento, respectivamente.


2 comentários sobre “Barbárie em Curitiba: dois feridos no acampamento por Lula Livre atacado a tiros durante a madrugada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s