Ana Karla Dubiella e a Páscoa que há de vir…

por Sulamita Esteliam

Recebi da minha irmã cearense a crônica abaixo, enviada ainda no domingo de Páscoa. Tive que perguntar a autoria, pois chegou camuflada em citações de outras penas e uma hastag na medida: #RessuscitaBrasil.

Diz ela que “era apenas um desabafo”.  Ora, ora, ora!

Em situações como tais, costumo dizer que se modéstia fosse boa, a gente comia com angu e quiabo…

HAVERÁ PÁSCOA ESTE ANO???

por Ana Karla Dubiella*

Hoje eu acordei pensando que nossa Páscoa, se houver, mudou de data. Podemos prepará-la com carinho, sem cair em armadilhas diárias que nos farão enterrá-la para sempre. Estou falando de política.

Como diria um homem que admiro, “nunca antes na história desse país” precisamos tanto de uma ressurreição. Mas uma ressureição de verdade, sem kit verde-oliva, sem estarmos todo dia tão indignados e perplexos  que tratamos de mil atos de corrupção atuais ao invés de tratarmos da solução, insistentemente, repetidamente, perseverantemente, diariamente.

Explico: ontem li por acaso que a Coca-cola, símbolo máximo do capitalismo mundial, quando quer aumentar suas vendas, jamais utilizou ataques à Tubaína (ou outra marca qualquer) para vencer. Ao contrário, repete de forma insistente suas principais qualidades até que são introjetadas por quem assiste. É uma estratégia tão velha quanto vencedora.

Podemos, sim, viver uma Páscoa nas eleições de 2022. Mas temos de reagir agora, imediatamente. Ambos os candidatos são ex-presidiários, não esqueçamos jamais disso, mas um deles, só ele, se preocupa com a fome daqueles que voltaram a dormir nas ruas. Um deles reconhece que o petróleo é nosso. O único que em uma crise mundial de saúde compraria vacinas – e sem escândalo de propina. Uma pessoa cuja origem é de trabalho duro e por isso valoriza cada trabalhador. Que ama as mulheres, os gays, trans, negros, índios, todas as religiões, a Ciência, Amazônia, o SUS e a democracia. Defende a informação de qualidade, uma imprensa livre, os direitos humanos e um estado laico.

Sim, a nossa Páscoa tardia, depende de nós. E a hora é agora.

Quando era adolescente, minha filha me perguntou com inocência: mãe, qual o meu lado é maior, o bom ou o mau? Respondi o óbvio: aquele que você alimentar todos os dias. Se eu postar ódio e malfeitos de quem não presta, será este o seu lado vencedor; se nadar contra a corrente espalhando amor, haverá de viver merecidamente a sua Páscoa, com início marcado para 01.01.2023.

* Ana Karla Dubiella é jornalista, escritora e professora de Jonralismo, mestra e doutora em Literatura e estudiosa da obra de Rubem Braga.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s