Os 100 dias de Dilma e os 180 do blogue

por Sulamita Esteliam
A presidenta Dilma Roussef e o ministro das Relações Exteriores da China, Yang Jiechi - Foto: Roberto Stuckert Filho/PR-Blog do Planalto

O governo Dilma Roussef completou 100 dias no domingo, e a presidenta desembarcou em Pequim, nesta segunda. Neste dia 11, este blogue arredondou seis meses de blogosfera, e pipocou 12.200 acessos. Comemoro e agradeço, pois tem sido com esforço pessoal, e sem qualquer tipo de patrocínio – ainda – que o mantemos no ar; atualizado, sempre que possível, diariamente – e até, esporadicamente, em fins de semana. Ontem, dia de aniversário, não houve espaço de tempo suficiente para cumprir a rotina. E cá estou eu, fazendo o dever de casa, na madrugada-pós-imediata…

Quanto aos 100 dias de Dilma, é tempo por demais exíguo para qualquer análise mais consistente, acredito. Entretanto, é praxe fazê-lo em quaisquer níveis de governo. Faz-se isso no mundo inteiro, sabe-se-lá por quê. Talvez para justificar a utilidade da imprensa, em todos seus meios. Talvez para satisfazer a necessidade de notícias, boas ou más.

No caso da primeira mulher presidenta da República, nossa mídia nativa foi pródiga em comparações de estilo Dilma-Lula. Dilma deixa de ser “poste”, “durona” e “agressiva” e passa a ser louvada em sua discreta maneira de gerenciar o país. Lula , “o nunca dantes” – como diz Paulo Henrique Amorim -, se mantém sapo barbudo na tentativa de assegurar que não volte a “coachar” no Planalto, nunca mais. Clique para ler, a partir do apanhado da Agência Patrícia Galvão.

O artigo do decano Elio Gaspari, colunista da Folha SP, é exemplar: destila sarcasmo e preconceito, já a partir do título: Dilma, ou a banalidade da paz.

E tome estatísticas – algumas, absolutamente, inúteis. Como, por exemplo, 0 número de vezes que Dilma Roussef citou as palavras “Brasil” e “mulher”, no expressivo levantamento da semanal Óia-Veja – reproduzidas pela Agência Patrícia Galvão.

Enfim, cada um dá o que tem.

**************************************

A Tal Mineira buscou na rede algumas análises que considera – verbo preferido da presidenta – interessantes. Vamos lá:

  • O artigo de Luiz Nassif, publicado em seu blogue e reproduzido por Carta Capital. Para o jornalista, a análise dos 100 dias de governo Dilma requer entender “o  projeto de Lula”, que trata o país como um todo, a partir de uma política de inclusão social nunca vista. A partir daí, Nassif pontua sua análise em três tópicos sobre Os desafios do governo Dilma: 1) desarmar o clima de guerra junto “ao público midiático”, resultante da campanha eleitoral; 2) consolidar o modelo gerencial, com vista à eficácia de gestão; 3) sair da armadilha mercadista, que ele considera “a mãe de todas as batalhas”
  • Artigo do economista Paulo Daniel em Além da Economia, que também é colunista de Carta Capital. Ele bota os pingos nos is nas pretensas diferenças na condução da política econômica do atual e do governo anterior, inisistentemente apontadas pela velha mídia nativa.
  • Mestre Ricardo Kotcho, em seu Balaio, bota o dedo na ferida das relações de trabalho escravagistas que, tristemente, ainda persistem no Brasil pós-Lula e na era Dilma. Inclusive em obras do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento.
  • Postagem do sociólogo e cientista político Emir Sader, no Blog do Emir, em Carta Maior, para quem “os elementos essenciais do governo Lula se mantem e se reforçam com Dilma”. Trata os 100 dias, também sob a lente comparativa Lula-Dilma, também através da leitura midiática.
  • A leitura da economia brasileira, e do governo Dilma, a partir da Argentina. Matéria do jornal Página 12, reproduzida por Carta Maior, que mantém parceria com o periódico hermano.
  • Marcelo Souza, do RN.com.br, reproduz matéria do Portal do PT, que vê os primeiros 100 dias de Dilma voltados para as mulheres, para a educação, saúde e questões sociais.
  • Contudo, é nas questões relativas à saúde da mulher, exatamente, onde o governo Dilma Roussef coleciona polêmicas. Pelo menos, na ótica dos movimentos feministas e de mulheres. A Rede Cegonha, voltada para a saúde de mães e bebês, por exemplo, é duramente criticada em entrevista de Telia Negrão, secretária-Executiva da Rede Feminista de Saúde a Conceição Lemes, do Vi o Mundo.
  • Fechemos com a reportagem de Umberto Martins, em o Vermelho, sobre A parceria estratégica entre Brasil e China, a propósito da viagem da presidenta Dilma Roussef àquele país, um dos cinco Brics.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           Bom proveito.

4 comentários sobre “Os 100 dias de Dilma e os 180 do blogue

  1. Como vai minha “tia” querida, parabéns pelos seis meses do blog. Fique sabendo que eu a acompanho quase que diariamente, e satisfeito fico quando leio suas postagens. Boas vibrações de um primo que te admira muito. Beijocas e até!
    Filipe Souza Coelho.

  2. PARABÉNS!!!
    PARABENS!!!
    PARABENS!!!
    Que esse bebezinho de 6 meses tenha uma longa e feliz vida!!!
    E que não desgaste muito sua mamãezinha… rsss…
    Adooooro esse bebê e sua mamãe,
    Carinho e carinho,
    Libertá

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s