Saberes e sabores geram emprego e renda na Mata Sul

por Sulamita Esteliam

Rapidamente, antes que o 21 se vá, registro evento importante para o trabalho, renda e sustentabilidade de jovens e mulheres, prioritariamente, que vivem em assentamentos na Mata Sul pernambucana. Trata-se da Feira de Saberes e Sabores e a Rodada de Negócios dos agricultores familiares da região. Está em curso, em Rio Formoso, desde de manhã, mas só agora encontrei o convite perdido em minha atolada caixa de mensagens.

Ao longo de todo o dia, os produtos da agricultura familiar de base ecológica são apresentados aos setores de hotelaria e comércio de alimentos. O objetivo é abrir portas para negócios entre comerciantes e agricultores regionais. O encerramento se dá com a inauguração de um entreposto de mel e da unidade de beneficiamento de frutas do Assentamento Amaraji.

O evento é realizado pelo Centro Sabiá, famílias agricultoras e associações comunitárias, com o patrocínio da Petrobrás, através do Programa de Desenvolvimento & Cidadania. É parte do projeto Trabalho, Renda e Sustentabilidade no Campo, desenvolvido pela ONG com sede no Recife. Envolve 600 famílias que já praticam agricultura agroecológica e que, a partir do projeto, podem beneficiar sua produção e comercializar seus produtos, gerando renda.

Com os recursos do programa, foram construídas duas unidades de beneficiamento de polpa de frutas – uma em Rio Formoso e outra em Sirinhaém – e um entreposto de mel. Nelas as famílias vão poder beneficiar sua produção.  Os próprios agricultores vão gerenciar os empreendimentos – 285 pessoas foram capacitadas para tal. Todas as atividades, entretanto, são planejadas e monitoradas.

A ideia que move a ação é, com mais oportunidades de trabalho e mais renda, estimular jovens e mulheres inseridas no projeto a permanecerem no campo. Sabe-se que principal causa da migração para os centros urbanos é a falta de emprego.

Ao objetivo de ampliar o mercado das feiras locais, junta-se o direcionamento de parte da produção agroecológica para as escolas. A ideia é que os produtos passem a compor a merenda dos estudantes. As famílias serão estimuladas a acessar o PAA – Programa de Aquisição de Alimentos e o PNAE – Programa Nacional de Alimentação Escolar, políticas do governo federal que preveem recursos para a compra de produtos da agricultura familiar.

Mercado para os produtos é o que não falta, aliás. Além do comércio, há o turismo numa região pródiga em engenhos, hotéis e pousadas.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s