O Coque Re-xiste, com arte e garra

Co Rexiste

por Sulamita Esteliam

Domingo, 04 de agosto, as pessoas que se importam com o seu redor têm um encontro com a cidadania na Comunidade do Coque, ilha de Joana Bezerra, ali onde a área central do Recife faz a curva para a Zona Sul. É dia de gritar bem alto o Coque Re-xiste!

É dia de resistência contra a voracidade da especulação imobiliária que tem dado as cartas na cidade. À revelia da lei, do direito das pessoas. É Dia de Luta da Comunidade do Coque pelo Direito à Moradia.

Embora ocupe uma Zeis – Zona Especial de Interesse Social, o que significa, em tese, gozar de proteção legal contra a cobiça das construtoras, os moradores estão sob ameaça de desapropriação. O lugar que era maré, e eles aterraram para construir a comunidade, agora está destinado à construção do Polo Jurídico.

No apagar das luzes da gestão João da Costa (PT), a Prefeitura do Recife doou os terrenos em frente ao terminal de Joana Bezerra, por exemplo, para a OAB construir sua sede. Pior, sem qualquer contrapartida que beneficie a população local. Os moradores prometem não deixar acontecer.

E têm lastro, são bons de briga, no sentido de resistir, por isso o Coque existe. Também são bons de versos:

Coque é virtude
Coque é família
Coque é harmonia
o coque traz projetos de vida
projetos de paz
no Coque tem pessoas
que não botam você para trás

(…)
Vem chegando gente
que quer nos derrubar
que quer nos humilhar
quer nos dar merreca
pra gente se mudar
o Coque é nosso, amigo
não dá pra acabar

O recado do adolescente Joel Maciel, de 15 anos, frequentador da Biblioteca Popular do Coque, é o sentimento de toda a comunidade. Há meses a Biblioteca vem trabalhando com as crianças e adolescentes, as histórias de construção de sua “Macondo”, contadas pelas mães, pais, avós e avôs, pioneiros de quando tudo era só lama e garra. Clique para ler, no blogue da BP Coque tem mais.

Junto com a Biblioteca Popular do Coque, organizações e articulações que atuam na comunidade realizam uma série de atividades ao longo de todo o domingo, em diferente pontos da comunidade. Oficinas literárias, de artesanato e culinária, rodas de oração, exposições, ciclo de diálogos, atividades esportivas, exibição de filmes, teatro, cortejo poético… A criatividade dá as cartas. Confira, abaixo, a programação e acompanhe as novidades sobre o movimento também no Facebook.

Coque re-xiste

Quem é de Pernambuco ainda pode assistir a última de três partes do documentário Coque, Histórias da Terra, exibido pela TV PE, às 19:00 horas desta sexta, 02. Produção do Coletivo Coque Vive e Jacaré Vídeo.

Dica da amiga jornalista, escritora, atriz e contadora de histórias, Fabiana Coelho, voluntária na Biblioteca Popular do Coque, onde, dentre outras funções, faz mediação de leitura.

 


2 comentários sobre “O Coque Re-xiste, com arte e garra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s