#OcupeEstelita, por um Recife inclusivo e feliz

#ocupeestelita
por Sulamita Esteliam

Quem é do Recife, e almeja uma cidade melhor para sua gente, tem compromisso inadiável no domingo, 18. A partir das onze da manhã, e ao longo de todo o dia até as oito da noite acontece o #OcupeEstelita, que entra em seu terceiro ano e já coleciona conquistas.

Junte os amigos, a esteira, guarda-sol ou guarda-chuva, instrumento musical e a matula para o lanche e faça um piquenique. A mobilização é coisa séria, mas o domingo promete ser divertido. Vai ter música, dança, vídeos, declamações, teatro, alegria e, claro, debate sobre o que fazer para garantir uma cidade mais inclusiva e feliz.

Vou perder a festa, é uma pena: estarei em viagem de trabalho.

Estelita, para quem não é da terra, é o nome do Cais que liga o Bairro de São José à Cabanga e à Zona Sul da Cidade. É um dos cartões postais mais belos do Recife. De lá se descortina o estuário dos rios Capibaribe, Beberibe e Pina com o mar, se avista Brasília Teimosa e o Bairro do Pina, portão de entrada para Boa Viagem.

É sítio sob permanente ameaça da especulação urbana segregadora, “que encastela os moradores em torres de mais de 40 andares, cercadas por altos muros, deixando os pedestres expostos ao perigo nas ruas desertas”. É o argumento, potente, dos organizadores, que inclui vários grupos e organizações dos movimentos sociais, a começar pelo Movimento Direitos Urbanos.

A ameaça à região do Cais José Estelita tem nome e projeto: “Novo Recife”, que pretende construir na área mais de uma dezena de torres, a exemplo de duas que já existem junto ao Cais de Santa Rita, colado ao Recife Antigo. Moradia e lazer para classe média alta, “e que vai empatar a vista, o sol, o vento, a rua, a vida das pessoas…”

Modernidade e desenvolvimento tão somente para a casa-grande, pra variar.

Ora, direis, toda cidade tem que crescer e modernizar-se. Naturalmente, só que no limite do respeito à qualidade de vida das pessoas, todas, e portanto ao meio ambiente e aos recursos naturais.

O Projeto Novo Recife, embora aprovado pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano, contra todas as evidências de irregularidades, está suspenso, judicialmente. Este é um dos avanços que os coletivos e movimentos conseguiram, no caso com o apoio do Ministério Público e da Justiça.

Há outros, todos alavancados pelo combustível da mobilização popular. Os movimentos relacionam as conquistas, muitas delas divulgadas neste blogue, por exemplo:

• Suspender a construção dos viadutos na Av. Agamenon Magalhães
• Paralisar o Novo Recife, que se encontra em julgamento
• Manter o Clube Líbano e o edif. Caiçara, ainda de pé
• Impedir a remoção de 58 famílias do Coque
• Defender o direito das famílias expulsas pelas obras da Copa
• Contribuir na formulação de leis que melhoram o funcionamento da cidade, como no bairro da Boa Vista
• Impedir que o dinheiro dos nossos impostos fosse utilizado para os camarotes da Prefeitura e do Governo do Estado no Carnaval de 2014

Tem mais na página do evento no Facebook – clique

 

 


3 comentários sobre “#OcupeEstelita, por um Recife inclusivo e feliz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s