Lançamento: Sérgio Vilas-Boas e a arte de traçar ‘Perfis’

por Sulamita Esteliam

Convite-de-Lançamento-do-livro-do-Sergio-Vilas-BoasQuem é ou está em Sampa esta semana tem a oportunidade de conferir o lançamento do livro Perfis: o mundo dos outros- 22 personagens e 1 ensaio, do mineiro Sérgio Vilas-Boas. Acontece na quinta-feira, 21, às 19:30 horas, no Teatro Cásper Líbero, na velha Paulista ( confira ao lado).

Encontrei o convite no grupo no FB do velho e saudoso DC/JC – Diário do Comércio/Jornal de Casa – jornal (is) onde o autor trabalhou, creio que na primeira metade dos anos 90. Euzinha fiz parte da equipe, do semanário e do diário, 10 anos antes. Escola fundamental da prática do bom Jornalismo.

Não sei se foi lá que Sérgio tomou gosto pelo gênero “perfil”. Lembro-me que a reportagem do DC odiava quando lhe caía a pauta, geralmente de empresários, da indústria e do comércio. Esta escriba, recém-chegada, acabava quase sempre sorteada. Tanto fez que o querido pauteiro, João Rafael Piccardi, que é estrela há alguns anos, nem mais piscava: perfil era com “a Sulinha”, mesmo… rs

Longe de mim comparar-me ao Sérgio, um especialista na arte para qual estudou e se aprofundou. Jornalista, escritor e professor universitário, estudou narrativas biográficas em seu mestrado e doutorado na Escola de Comunicações e Artes da USP.

No livro, que é reedição atualizada, as 22 narrativas são iluminadas por pesquisas, reflexões e insights – próprios e dos personagens.  O universal se mescla às idiossincrasias do autor e dos perfilados, o que enriquece a leitura.

A escolha dos retratados é singular, mistura celebridades com profissionais diversos, gente em sua humanidade. Dentre outros, João Ubaldo Ribeiro, Lya Luft, Maurício Krubusly, Gabriel Garcia Marques; o empresário Jayme Sirotsky e a chef do restaurante Tordesilhas, Mara Salles; o ornitólogo Johan Dalgas Frish e Jaqueline Ortolan, comandante de jatos da TAM; o ex-jogador Tostão e o escritor Paul Auster.

“Meu trabalho é artesanal. Tudo para mostrar quem é a pessoa, sua personalidade e sua obra, verdadeiramente. Busco ouvir em momentos e ambientes diversos o protagonista e algumas pessoas próximas a ele/ela. E, quando julgo pertinente, revelo também as circunstâncias em que ocorreram os encontros”, detalha Sérgio no texto de divulgação do livro, postado em seu sítio pessoal.

A tarefa primeira é convencer a pessoa “a ceder seu tempo e sua energia (físical e mental)” para partilhar um método mais demorado, diferente daquele empregado pelo jornalismo cotidiano. “Fugir da superficialidade para tornar a narração mais dinâmica e viva”, ensina o autor, que reconhece aí um desafio.

Um ensaio sobre A arte do perfil conta um pouco da história do gênero, sua evolução ao longo do século passado e a ligação com o Jornalismo Literário, texto que fecha o livro. Nele, Sérgo compartilha um pouco de seus estudos e experiências em 20 anos de labuta como escritor e professor.

O livro se destina a estudantes de jornalismos e, claro, aos aficcionados do gênero.  São 288 páginas, ao preço de R$ 59. Quem leu recomenda. Pode ser adquirido pela internet, no sítio da Editora Manole,

Sobre o autor: Sergio Vilas-Boasé jornalista, escritor e professor de reportagens especiais na Faculdade Cásper Líbero, São Paulo. Tem outros livros publicados: Biografismo: Reflexões sobre as Escritas da Vida – Unesp, 2ª edição, 2014 e Os Estrangeiros do Trem N, vencedor do Prêmio Jabuti 1998, por exemplo.

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s