Lula em aula sobre política me faz lembrar minha avó

por Sulamita Esteliam
A escultura 'Retirantes' à entrada do Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, no Recife, retrata e homenageia a família do ex-presidente, tangida de Penrambuco pela seca, no início dos anos 50. Lula é o pequeno à direita - Foto: Thiago Castro/2011
A escultura ‘Retirantes’ à entrada do Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, no Recife, retrata e homenageia a família do ex-presidente, tangida de Penrambuco pela seca, no início dos anos 50. Lula é o pequeno à direita – Foto: Thiago Castro/2011

Minha avó materna educou sua numerosa prole  – quatro homens e quatro mulheres – com a seguinte máxima: “Pobre tem que trabalhar dobrado, ser asseado e honesto, porque em rico nada pega. Já ao pobre não basta ser trabalhador, tem que ser limpo e honesto, e tem que parecer limpo e honesto.”

Lembro-me disso sempre, porque Euzinha, uma dos 47 rebentos da terceira geração, fui criada na mesma linha. Mas, especialmente hoje, tais reminiscências e reflexões me vêm à tona enquanto absorvo as notícias na remada diária pela blogosfera.

E mais ainda quando assisto ao vídeo gravado por Lula, no qual ele define a semanal da abril como “panfleto da campanha do Aécio”. E dá uma verdadeira aula sobre política e democracia. Posto mais abaixo.

Sou suspeita para falar do Lula. Tenho verdadeira admiração por ele, por sua história de vida, de superação. Sou extremamente agradecida a ele por sua coragem e determinação em não desistir de fazer deste país um lugar mais justo e igualitário para todos os seus filhos. Ainda estamos longe, mas já caminhamos muito, e chegaremos lá.

Todas as manhãs, como hoje, quando faço minha caminhada matinal na direção sul, reduzo o ritmo quando passo em frente ao Parque Dona Lindu, em homenagem à mãe de Luiz Inácio Lula da Silva. A lembrar que foi alvo de polêmica e batalhas judiciais movidas pela elite classe média recifense, preconceituosa, para tentar impedir sua implantação.

Lá, uma escultura do pernambucano Abelardo da Hora não nos deixa esquecer a família-símbolo dos Retirantes, tangida deste solo pela seca e pela miséria. E que, por ironia, daria ao Brasil seu primeiro presidente de origem operária.

Quiosque cidadão na beira-mar de Boa Viagem - Foto: SE
Quiosque cidadão na beira-mar de Boa Viagem – Foto: SE

No calçadão, logo depois do parque, há um quiosque que difere dos outros, por um detalhe. Desde antes da Copa se vestiu de verde e amarelo, e assim se mantém. Talvez, para evitar repetir a explicação, escreveu-a como um cartaz, que hoje parei para fotografar (ao lado).

Simbolicamente, pois não conheço o barraqueiro, soou-me como um ato de desagravo.

De volta ao Lula, hoje, ao ouvi-lo comentar o ódio contra o PT, disseminado pelas elites e pela mídia, que é sua porta-voz, apeguei-me ao trecho final. É quando ele, ao falar da importância do partido, que ele fundou, na construção da democracia no Brasil, manda um recado certeiro que me fez lembrar Mãe Ceição.

Bem na linha dos ensinamentos de minha avó, Lula diz: “O PT precisa saber (…) No governo petista, nós temos que ser mais sérios que o governo tucano (…)”

Talvez seja questão de classe.

Compartilho o vídeo gravado pelo Instituto Lula:

 

 

tempo_mentira_1_0Fato é que, aos poucos, toda a mentirada que foi plantada como verdade nas eleições presidenciais,  e virou manchete, com o claro intuito de brecar a vitória de Dilma Roussef, vem à tona. E agora é a própria mídia que lhe deu curso, que tira o véu.

A Folha SP desta quinta publica matéria em que o próprio dono do, até então, desconhecido instituto Veritá admite que a campanha do 1º Neto “usou pesquisa com dados enganosos” no segundo turno.  Se o malfeito fosse da campanha de Dilma, certamente a frase teria sido outra, algo tipo fraude.

Dos tentáculos da venalidade não escapa a mídia local. No caso em pauta, o diário mineiro Hoje em Dia, que deu capa com a pesquisa fraudulenta, tem contas a prestar. Não basta reconhecer o vexame.

Na terça, o Estadão publicou foto do irmão da presidenta Dilma Roussef num fusquinha, a título de reparo à acusação, feita durante a campanha, de que Igor Roussef teria sido funcionário fantasma da Prefeitura de Belo Horizonte.

O suposto delito, registre-se, já fora prontamente desmentido não só pelo ex-prefeito Fernando Pimentel (PT) em cuja gestão o advogado trabalhou – mas não repercutido. O atual prefeito Márcio Lacerda (PSB), que está na segunda gestão, informou que Igor Roussef trabalhava regularmente e poderia ter ficado, mas pediu exoneração assim que a irmã se elegeu, em 2010.

Questão de classe.

Em todos os casos, a infâmia presidiu a clara tentativa de interferir no resultado do processo eleitoral. A pergunta que se faz, sobretudo no que diz respeito ao crime da Veja, que eu chamo Óia! – para além da urgência e justificativa da regulação econômica da mídia -, é se vai ficar por isso mesmo.

O próprio advogado do delator do esquema de propina na Petrobras, que em momento algum apresenta provas do que fala, nega a participação na divulgação da mentira sobre o conhecimento de Dilma e Lula. E agora os jornalões o publicam. O assunto, a propósito, é tratado na coluna do Jânio de Freitas, também na Folha SP – que li através de postagem do Fernando Brito no Tijolaço.

Escreve JF:

“A Polícia Federal suspeita que Youssef foi induzido a fazer as acusações a Dilma e Lula, entre o depoimento dado na terça, 21, e a alegada “retificação” na quinta, 23. Suspeita um pouco mais: que se tratasse de uma operação para influir na eleição presidencial.

A Polícia Federal tem comprovado muita e crescente competência. Mas, nem chega a ser estranho, jamais mostrou resultado consequente, quando chegou a algum, nos vários casos de interferência em eleições. Não se espere por exceção.”

****************

Henrique Pizzolato, em foto anterior ao julgamento do STF -  Foto capturada na Internet
Henrique Pizzolato, em foto anterior ao julgamento do STF – Foto capturada na Internet

Também nesta quinta, a notícia que bomba nas redes sociais é a recusa, pela justiça italiana, de extraditar Henrique Pizzolato, réu na Ação 470, para o Brasil. Na prática equivale à sua absolvição.

Preso na Itália pela Interpol, a pedido da Advocacia Geral da União e do MPF brasileiros, foi posto em liberdade. O Estado brasileiro vai recorrer.

Pizzolato, que foi diretor de Marketing do Banco do Brasil, condenado a 12 anos e sete meses por lavagem de dinheiro e peculato, evadiu-se para a Itália, onde tem cidadania. Tentativa de provar sua inocência. Aqui, as provas apresentadas no processo 2474 não foram reconhecidas, pois o STF se recusou a juntar os processos.

Uma das várias anomalias jurídico-políticas, para dizer o mínimo, do julgamento caracterizado pela exceção. E que ficou taxado, mas não provado, como “mensalão” do PT.

As provas dos reais serviços prestados pela DNA propaganda à Visanet – empresa privada que opera os cartões de bandeira Visa para o Banco do Brasil – fora constatadas pela justiça italiana. Também a Pizzolato, como a outros réus, foi negado o direito a duas instâncias de julgamento, uma vez que não exercia cargo de Estado, nem era parlamentar. Tais anomalias jurídico-processuais foram decisivas na negativa da extradição.

Claro que o grosso da mídia venal só cita como motivo “as más condições dos presídios brasileiros” – contradita Tereza Cruvinel em sua coluna no Brasil 247.

 

*****************

Postagem revista e atualizada em 31.10.2014 às 10.39, hora do Recife: correção de pontuação, substituição e/ou exclusão de palavras repetidas em diferentes parágrafos. Foram agregados links de reportagens referentes a assuntos nos parágrafos seis e sete da segunda parte, relativas a desmentidos na mídia.

Nova revisão e atualização em 01.11.2014, às 15:17, hora do Rdcife: inclusão da frase/parágrafo na segunda parte da postagem: ‘Questão de classe’.

 

 

 

 

 

 

 


2 comentários sobre “Lula em aula sobre política me faz lembrar minha avó

  1. Daqui da nossa Fortaleza,lendo seu artigo, fiquei absolutamente honrado em ter conhecido esta pessoa de uma cabeça memorável e brilhante. Parabens Sulamita pelo seu talento! Abraços do amigo João Teles. Beijos na Gabi e nos meninos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s