Leva no bico

por Eneida da Costa – especial para o A Tal Mineira
Metódo tucanopig: capa para desconstruir adversário às vésperas da eleição, num bar de Santa Tereza, em Beagá – imagem capturada no FB/Paulinho Saturnino

Alexandre Kalil, (PHS) venceu as eleições em Belo Horizonte. Seu adversário, João Leite (PSDB). O adversário dos dois, votos brancos, nulos e abstenção.

Aécio Neves, senador por Minas e presidente nacional dos tucanos, aportou na capital mineira na reta final da campanha. Trouxe a primeira irmã, Andreia Neves, famosa por suas táticas nada ortodoxas na prática da comunicação.

Os penosos fizeram de tudo para reverter a tendência de subida de Kalil nas pesquisas de segundo turno. Até uma capa especial na edição da revista Isto É na semana do pleito foi encomendada. Última cartada para tentar derrubar o ex-cartola.

Não adiantou, deu Kalil, de origem árabe, que foi presidente do Clube Atlético Mineiro. Odiado pelo movimento feminista, declarou que dormir com a Libertadores é melhor que dormir com mulher. “A taça acorda calada e a mulher já acorda falando”.

A campanha de João Leite usou e abusou do discurso machista. Escalou uma desembargadora negra para sentenciar “quem não respeita a mulher não respeita nada”. Não adiantou. O leite coalhou.

No primeiro turno, o candidato aéciodependente venceu em quase toda a cidade. Saiu na frente para o segundo turno. Ao final, só ganhou em três das 18 zonas eleitorais.

A primeira pesquisa apontou que Kalil poderia reverter o quadro. A campanha de João Leite apostou na desconstrução do adversário. Baixou o nível. Kalil, que sempre foi rasteiro, adorou o jogo. Na baixaria não há ninguém como ele. A campanha em Belo Horizonte foi um show de horrores. O palhaço assustador venceu.

Mas a soma dos votos válidos foi menor que a soma dos nulos, brancos e abstenções. A internet não perdoou. “Aécio pode pedir música no Fantástico”. A piada se refere às três derrotas consecutivas do tucano de alta plumagem em sua dita terra natal. Perdeu pra Dilma, perdeu pra Pimentel e, agora, pra Kalil.

Só que tucano que é tucano não aceita a derrota, Aécio leva no bico que o partido dele foi o grande vencedor das eleições de 2016. E que o PT foi o grande derrotado.

Aqui nas Alterosas, o vento que sopra da Serra do Curral, dá outro recado: o bom de bico não é tucano. E o avô de Aécio decretou: Quando Minas se levanta, o Brasil segue.

Como disse a vedete, o tempo dirá.

ressaca-de-aecim

Notas da editora:

1) Para entender o tamanho do bico do 1º Neto, leia: O PIG pensa que SP é o Brasil, no Conversa Afiada, onde capturei a charge do Bessinha.

2) Amanhã falo sobre o Recife. Ainda estou ajuntando os cacos, os meus pessoais.

 3) Agrego o vídeo da TV Afiada, por ser pertinente ao tema desta postagem, e a gente precisa  de algum bom humor para tocar em frente.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s