A política de preços dos combustíveis, a greve dos caminhoneiros e o golpe de João sem braço do desgoverno

por Sulamita Esteliam

Leio na Agência Brasil que o desgoverno do mordomo usurpador golpista liberou as forças federais para desmontar os bloqueios das estradas pelos caminhoneiros em greve – os autônomos e seus contratadores, os donos das transportadoras.

Inegável que a greve é protesto legítimo, mas que tem gato – ou pato, como sugere, à perfeição, o cartoon de Renato Aroeira -, na tuba, lá isso tem…

Frustrado o “acordão”, ao que parece, uma proposta enfiada goela abaixo, que não colou, e que passaria a imagem de proatividade, o que é falso, agora vale a força.

Sem esquecer o que o desgoverno omite, que é a boa e velha pergunta: de onde vai sair o dinheiro para bancar a isenção da Cide, congelar os preços do combustível por 30 dias e compensar as perdas da Petrobras com a medida?

É claro que a oferta se sustenta em recursos do orçamento , colnforme denunciam os senadores Lindbergh Farias e Gleisi Hoffman, respectivamente líder do PT no Senado e presidenta do partido.

Quer dizer, faz graça com o chapéu alheio do Zé e da Maria Povinho.

Os petroleiros, que constroem uma greve nacional em defesa da Petrobras e contra os aumentos abusivos nos preços dos combustíveis, denunciam que a ordem a ordem da direção da empresa é para reduzir a produção na refinarias. O que obriga à importação no mercado internacional, em benefício as petroleiras internacionais.

Assista ao vídeo com a entrevista do presidente do Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais, na linha do comunicado do coordenador nacional da FUP -Federação Única dos Petroleiros, José Maria Rangel, que agrego na sequência:

Tudo indica, também, que é deliberada o racionamento da entrega em setores essenciais, que, por óbvio, não estão a cargo dos “autônomos”, por exemplo, no transporte de querosene para aviação.

Há greve, sim, mas também tem locaute. E o uso das forças federais no quinto dia de paralisação sem qualquer reação num país acostumado a espancar professores em greve, é mais um indicativo de que a mão pesada do desgoverno está mexendo a panela do destempero.

Com que objetivos? Boa coisa não pode ser.

A propósito, o colega Luis Nassif, tem uma análise bem interessante sobre o que pode estar por trás deste imbróglio, que envolve até o pescoço o gestor Pedro Parente, e respinga na Lava Jato que se vende como panaceia para todos os males de um país que se quer seletivamente corrupto.

Transcrevo o trecho final. A íntegra aqui:

“A política de preços de Parente acabou provocando uma crise política de proporções, com o blackout dos caminhoneiros. A saída encontrada pelo governo Temer foi garantir o lucro dos investidores com recursos orçamentários.

Primeiro, pensou-se em eliminar os tributos sobre a gasolina; depois, a de ressarcir a Petrobras pela redução de ganhos que viesse a ter com a diminuição dos preços dos combustíveis. Ou seja, o país imerso em uma crise fiscal gigantesca, criando uma enorme conta fiscal para impedir a redução dos dividendos dos acionistas da Petrobras.

Não há outra explicação, que não a suspeita de corrupção da grossa.”

 

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s