Seria o capiroto um instrumento dos militares, descartável quando se tornar inútil!?

por Sulamita Esteliam

Seria o capiroto um instrumento dos militares, descartável quando se tornar inútil!? Esta pergunta Euzinha me faço desde a malfadada eleição que levou o capitão-corona delirante à cadeira presidencial. Até que ponto a crise institucional agravada pelo coronavírus põe em risco o que resta de democracia no país?

Hoje diz-se que o ocupante da cadeira presidencial é tutelado, que há um presidente operacional. Na verdade, a única cadeira que resta sem vestir farda é a do sujeito que deveria ser o chefe do Estado. Só lhe restaria a caneta, com a tinta em esgotamento.

É o assunto abordado neste debate do canal IE/UFRJ cujo vídeo compartilho a partir do Jornal GGN. O professor Ronaldo Bicalho, do Instituto de Pesquisas Econômicas da UFRJ entrevista os professores Manuel Domingos é professor aposentado da Universidade Federal Fluminense e ex presidente da Abed – Associação Brasileira de Estudos de Defesa e Eduardo Costa Pinto é professor do Instituto de Economia da UFRJ.

O capiroto é a crise ou a infecção oportunista que se apoderou de um corpo doente, que é o Brasil? Palavras de Eduardo Costa Pinto, em tom afirmativo; a interrogação é por minha conta.

Ao vídeo:

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s