O Nordeste é apenas o começo de Lula pelo Brasil

por Sulamita Esteliam

Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão. Luiz Inácio Lula da Silva encerrou nesta terça, 05 de outubro, a Caravana Lula pelo Brasil. Reuniu multidões em cada praça, auditórios, estradas e colecionou mais cinco títulos de Doutor Honoris Causa e alguns de cidadão honorário, dentre outras honrarias.

Quem pode, pode… Por isso, segue caça.

Foram 32 cidades visitadas nos nove estados do Nordeste, e dezenas de paradas coercitivas: o povo na estrada clamava por Lula. Significa 4.440 quilômetros percorridos em 20 dias; de ônibus. E o homem tem 71 anos, a dois meses de iniciar novo ciclo.

“Uma viagem que começou com uma estação de metrô vibrando de cantos de apoio e incentivo em Salvador, atravessou o rio São Francisco ao encontro de um mar de sorrisos que aguardava em Penedo, e hoje é marcada pelas imagens das multidões que cercam os ônibus como a abraçá-los”, escrevem as repórteres Clarice Cardoso e Mariana Zorcolli, da Agência PT.

Foi assim em cada município e pelo meio do caminho. Como que a desejar-lhes boa viagem até o fim da jornada.

E a mídia venal fez que não viu.

Ao contrário da imprensa internacional, e da mídia alternativa e independente.

Tempo de reconquista, escreveu um jornal alemão.

Qual o quê! O que é do homem, o bicho não come, diz a sabedoria popular.

“Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado por corrupção em julho. Agora ele está na estrada mobilizando aqueles que se ergueram da pobreza”, anota o correspondente do inglês The Guardian.

O jornalista Dom Philip registra a fala de um sertanejo de 65 anos, com admiração pelo uso do ‘nome completo, coisa rara no Brasil’: “Você conhece um fenômeno maior que Luiz Inácio Lula da Silva?”

Eis a questão.

“A coisa mais extraordinária que descobri é que em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, jornalistas e donos de veículos de jornais e TV creem que as mentiras (contadas sobre ele, Lula) fazem a cabeça do povo nordestino, pois estão equivocados“, reproduz a Telesur.

Os coletivos Jornalistas Livres, Brasil de Fato e Mídia Ninja se uniram para cobrir a caravana em tempo real, e a memória está lá.

Captaram a simbiose – esta é a palavra – do povo com o homem que lhes mostrou o sentido do acesso à dignidade.

No meio do caminho, um ano da oficialização do golpe. E Lula observou, em Ouricuri, no sertão pernambucano:

“Tiraram a Dilma para barrar as conquistas sociais. É a única razão que encontro.”

A presidenta Dilma, a legítima, aliás, se reuniu a Lula e à caravana no Recife. E depois foi ao Rio em ato que rememorou o golpe fraudulento, travestido em impeachment sem crime de responsabilidade.

Difícil escolher uma foto de destaque dessa jornada da esperança pela região mais sofrida deste País – até os governos Lula e Dilma.

Cada emoção, cada gesto, cada encontro, cada encantamento registrados com maestria por Ricardo Stuckert, fotógrafo oficial do ex-presidente, desde Brasília.

Um mar de gente em cada ponto de passagem.

A voz foi embora, mais de uma vez, e requereu cuidados médicos, no Ceará, a sétima estaçã0. E ainda havia o Piauí e o Maranhão.

“Foi amor, sim, amor à primeira consulta”, diz um dos médicos que atendeu Lula.

Sedução inescapável.

A tal ponto, que Luis, com S, e Henrique ao invés de Inácio, precisou escrever a respeito; texto publicado na Rede Brasil Atual:

“Lula é um ser humano lindo, carinhoso… Ele olha pra gente como se estivesse olhando para nossa alma.”

Já escrevi sobre essa catarse aqui no blogue, mais de uma vez. Ninguém fica imune à presença de Lula – nem seu carrasco auto-escolhido justiceiro, Moro de Curitiba e Maringá.

No espírito, inverto os versos de Fernando Pessoa, ciente de que tudo nesta vida tem preço e reverso.

Se a alma não é pequena, tudo vale à pena.

“Eu tô cansado, mas tô feliz da vida. Esse é o cansaço da batalha, da labuta, não é o cansaço da preguiça. E se eles querem me derrubar, que venham pra rua.”

O Nordeste, berço de Lula, é o princípio. O povo é o fim.

Assista ao ato de encerramento, na Praça Dom Pedro II, em São Luiz do Maranhão:

 

 

A cobertura completa da caravana Lula pelo Brasil pode ser acessada, também, no sítio do Instituto Lula; cidade por cidade, estrada por estrada, a cada ato público e solenidade.

O A Tal Mineira publica um ensaio com as fotos escolhidas pelo autor e publicadas em seu perfil no Facebook, e outras agregadas a partir do IL.  A cobertura fotográfica completa pode ser vista no Flickr do Instituto Lula.

Fotos: Ricardo Stuckert/Instituto Lula


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s