O chicote da Previdência no lombo da Maria, e do Zé também, Povinho

Viúvas que recebem pensão de um salário mínimo, como Maria Aparecida da Silva, ouvida pelo El País, são as maiores vítimas do desmonte da Previdência Social – Foto: reprodução de Arquivo Pessoal/El País
por Sulamita Esteliam

O desmonte da Previdência Social entra em segundo turno de votação nesta terça-feira, na Câmara dos Deputados. A oposição vai tentar suprimir trechos mais cruéis para a Maria e o Zé Povinho. Mas, se aprovada como quer o desgoverno-fake-delirante, os banqueiros e a mídia venal, que é parte da plutocracia nativa, o Brasil consolida seu pódio como o país mais desigual do mundo.

Há quem se orgulhe disso, e até consiga dormir, e sonhar, e ter orgasmos com a ideia. Puro sadismo.

É a expressão literal da crueldade no lombo dos que mais precisam do amparo do Estado, da sociedade, para uma vida menos miserável. Sobretudo no colo das viúvas pobres em um país cujo futuro é brecado por uma verdadeira indústria de mentiras e por uma espécie de imbecilização coletiva que paralisa.

Agora pela manhã, li um artigo de Luiz Carlos Soares Moreira, colunista do Jornal GGN, e uma reportagem no El País que traduzem bem o que acontece nestas plagas. E que pode ser resumido numa frase: estão nos fazendo de otários.

O artigo, de Luiz Carlos Soares Moreira disserta sobre o ditado popular segundo o qual “a mentira tem pernas curtas”.

Argumenta que para o mentiroso pouco importa o tamanho das pernas, desde que sirva ao seu propósito de enganar os incautos. E conclui que, para evitar o mal disseminado pelo engodo, é preciso quebrar as pernas da mentira.

Bem que a gente tenta. Só que, como já repeti aqui ene vezes, em frase colhida nas redes, também a partir de dito popular, vivemos um tempo em que “os ouvidos têm paredes”.

A reportagem do El País vai no cerne da sacanagem embutida nas deformações propostas pelo projeto do desgoverno: são as mulheres pobres, as viúvas desvalidas, que recebem pensão de um salário mínimo, mais do que todas as pessoas que têm direito a se aposentar dignamente, que são as principais vítimas da maldade.

Amo ditos populares, creio que você que me honra com o acesso a este blogue o percebe. Então, é preciso insistir, pois que vai que a sabedoria popular acabe funcionado e água mole em pedra dura acabe rompendo o bloqueio de pedra e a gente volte a respirar.

Destarte, compartilho o vídeo do engenheiro de produção Eduardo Moreira e, mais embaixo o link de 44 pontos constantes na PEC nº 6/2019 . Guarde esse número, ele vai destruir sua vida, ou a de seu pai, de sua mãe, irmã, sua filha, sua neta…

Fato é que, a propósito de reformar, o projeto desmonta a Previdência Social para favorecer os ricos, a casa-grande em detrimento da senzala.

Aproveite para espalhar, enquanto é tempo. Bom lembrar que, por ser medida constitucional, depois da Câmara vem o Senado, também em dois turnos.

Eis o acesso à análise, é só clicar: https://edumoreira.com.br/reforma-da-previdencia/44Coisas_Previdencia.pdf

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s