Lula fala sobre educação na ONU. Haddad também participa

por Sulamita Esteliam*

O ex-presidente Lula foi convidado a abrir o webinário sobre Educação e as Sociedades que Queremos nas Nações Unidas, na manhã desta quinta, 24.

Sei o que você pode estar pensando: ao menos o Brasil tem alguém com estatura capaz de minimizar o estrago na imagem do país feito por quem oficialmente deveria representá-lo com um mínimo de compostura.

Agora, se coloque no lugar do outro, sendo quem é. Inventa outra farsa para fingir desprezo: faz uma live com o des-ministro do meio ambiente.

Bom, vamos ao que interessa: o seminário internacional está inserido na 75ª Assembleia Geral da ONU, e teve ainda a participação do ex-ministro da Educação dos governos Lula, Fernando Haddad.

O convite veio da relatora da ONU para o Direito à Educação, Koumbou Boly Barry, que lembrou o interesse mundial pela experiência brasileira na área durante os governos Lula e Dilma.

Também participaram do evento o ganhador do Prêmio Nobel da Paz, o indiano Kailash Satyarthi, a diretora-geral da Parceria Global pela Educação, Alice Albright.

O seminário foi promovido pela Icesco – Organização do Mundo Islâmico para Educação, Ciência e Cultura, em parceria com a relatoria especial para direito à educação da ONU. O Instituto Lula e a Campanha Nacional pelo Direito à Educação integram a realização.

No discurso, Lula lembrou o esforço dos governos do PT pra enfrentar o desafio de séculos de desigualdades na educação no Brasil, resumindo o que tem sido seu mantra:

“Pela primeira vez na história, a maioria pobre, negra e trabalhadora do povo brasileiro foi colocada no centro e na direção das políticas públicas”.

Pela primeira vez os pobres entraram no orçamento do Estado, não como um dado estatístico, muito menos como um problema, mas como a solução dos problemas do desenvolvimento do país.”

Nunca é demais lembrar que 32 milhões de pessoas foram retiradas da pobreza extrema durante os governos Lula e Dilma. O Brasil saiu do Mapa da Fome da ONU e 21 milhões de empregos formais foram criados no período. 

Se aqui dentro a memória é fraca, esse feito é reconhecido mundialmente, e foi citado por participantes do seminário. Por exemplo, Salim al Mailik, diretor geral da Icesco:

“Todos testemunhamos as mudanças que você fez quando presidente do Brasil. Sua abordagem, de que os pobres são parte da solução, e não o problema, é uma coisa que quase todos os países do mundo precisam colocar em prática”.

Lula também lembrou uma frase do educador para homenagear o conterrâneo Paulo Freire, cujo centenário de nascimento acontece em 2021:

“A Educação é libertadora, no mais amplo sentido que se pode dar à palavra liberdade”.

Clique para ler a íntegra do discurso. Assista ao vídeo:

* com Instituto Lula e lula.com.br

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s