A indignação volta às ruas. Será que agora vai…?

por Sulamita Esteliam

Assistimos a um dia de protestos contra o genocídio promovido pelo desgoverno contra o povo brasileiro, no último sábado, pelos sete cantos do país. De repente, a tragédia sanitária no norte do país, começa a despertar nossa gente. Demorou.

Queremos e precisamos respirar. É agora ou nunca mais.

Pressionar as instituições adormecidas por um basta, ora traduzido em impeachment, é o que parece restar, diante da inação do Congresso Nacional, da Suprema Corte e do TSE. Mas, na verdade, está longe de ser o tratamento precoce para nossos males, como se quer acreditar.

O impeachment nos coloca no colo do general Mourão, dos militares, portanto. É trocar seis por meia dúzia, ou quase isso. E é tudo que resta à casa-grande, e aos próprios militares; depois da ocupação sub-reptícia, oportunista, passa a assunção institucional legítima.

Ao menos nos livramos da quadrilha de milicianos, é o que se diz. Para quem está no limbo…

Em Salvador, os manifestantes plantaram cruzes no Farol da Barra, em homenagem aos mortos pelo Covid-19 – Foto capturada na internet

Atos, omissões e provocações irresponsáveis do chefe-capiroto, que resultam em milhões de infectados e mais de duas centenas de milhares de mortos no país. Repito e insisto, e agora provado está: é deliberado, é projeto.

Se isso não é motivo para lá de suficiente para apear qualquer governo, o que mais seria? Até parte dos que se empenharam para colocar o capiroto no lugar que, provado está, não lhe cabe foi pra rua, no domingo, gritar pelo impeachment. 

O colapso do sistema de saúde no Norte do Brasil, além de Manaus, o interior do Pará e em Rondônia é ameaça real para todo o resto. Vacina para todos, então, é miragem, ainda.

A inoperância e a manipulação em relação às vacinas que poderiam salvar vidas não são explicáveis. Sem falar em todo o resto que jogam o país no fosso da desigualdade e do desmantelo.

É criminoso. É inaceitável. O país não aguenta até 2022.

Com propriedade, o rapper Lucas Afonso, de São Paulo, dá o recado para todo o Brasil. Palavras-flechas, direto no sossego e no deboche. Repostei nas minhas redes, via Maria Frô, e também no canal A Tal Mineira TV no Youtube. Confira:

 

A pergunta que não quer calar, entretanto, e que a maioria se recusa a responder, foi verbalizada pela advogada Deisy Ventura em entrevista ao Luís Nassif. A pergunta é: o que vem depois do impeachment?

Importante registrar que a professora de Ética na Faculdade de Saúde Pública da USP, dentre outros títulos, coordenou o estudo que aponta a disseminação do Coronavírus como estratégia do desgoverno. Crime humanitário já denunciado à OEA pela OAB.

Vou e volto, todavia: indignar-se já é um bom começo para quem está no mato sem cachorro, como se diz lá na minha terra.

E por falar em Minas Gerais, e para ficar nas minhas Macondos, Belo Horizonte brilhou. Confira o vídeo que o Coletivo Alvorada fez da concentração em Beagá:

Foram mais de 10 quilômetros, do Mineirão, na Pampulha, ao alto da Afonso Pena e contorno afora, de volta ao Centro, até a Praça da Estação. Lá também aportou a passeata do Movimento Antifascista, que saiu da Praça Afonso Arinos. No interior, Uberaba, Varginha, Poços Caldas, por exemplo, fizeram bonito.

Aqui no Recife, centenas de carros e dezenas de bicicletas percorreram cerca de 13 quilômetros que separam a antiga Fábrica Tacaruna, na divisa com Olinda até a Pracinha de Boa Viagem e mais os 7,8 km da orla em protesto contra o genocídio, pelo #ForaBolsonaro et caterva, em defesa do SUS e por vacina já para todos. E houve carreata também no interior, como Caruaru e Petrolina, por exemplo.

No vídeo abaixo, uma coletânea das manifestações pelo país, feita pelo PT. Os protestos do sábado foram puxados pela oposição, a partir da Frente Brasil Popular, centrais sindicais, coletivos populares e partidos da esquerda.

 

Um comentário

  1. Em recente matéria publicada na Folha de S. Paulo, são relacionados 23 crimes de responsabilidade que Bolsonaro já teria cometido, nesses seus dois anos de governo até aqui.

    https://www1.folha.uol.com.br/poder/2021/01/colapso-em-manaus-e-derrapada-na-vacinacao-fortalecem-base-juridica-para-impeachment-de-bolsonaro.shtml

    Isso já seria mais do que suficiente para fundamentar a abertura de processo de impeachment.

    Há 63 pedidos de impeachment protocolados na Câmara contra Jair Bolsonaro, mas o sr Rodrigo Maia até aqui não abriu nenhum processo, engavetou os pedidos, quedou-se inerte.

    Por causa da covardia do Maia, o “capiroto” aloprado continua desgovernando o Brasil.

    Até quando teremos de suportar esse belzebu no Poder??

    Quantos ainda terão de morrer sem oxigênio por incompetência e irresponsabilidade desse governo genocida?

    É a pergunta que fica.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s