Em memória das vítimas do rompimento da barragem Córrego do Feijão, mortas e vivas

por Sulamita Esteliam* Sábado, dia 25, completa-se um ano do estouro da Barragem Córrego do Feijão, em Brumadinho, crime que deixou 272 mortos, 259 identificados até agora, mais de duas centenas de viúvas no pequeno município da Região Metropolitana de Belo Horizonte e um rastro de destruição irreparável. O Rio Paraopeba, um dos mais importantes … Mais Em memória das vítimas do rompimento da barragem Córrego do Feijão, mortas e vivas

Quatro anos do crime de Mariana, e nada ficou no lugar…

por Sulamita Esteliam A Rodovia MG 129, por onde transitam os funcionários da Samarco, empresa do grupo Vale-BHP, amanheceu fechada nesta terça-feira, 5. É o primeiro dos três atos que lembram e protestam pela tremenda injustiça a que são submetidos os ex-moradoras de São Bento, o lugarejo varrido do mapa pela lama de rejeitos da … Mais Quatro anos do crime de Mariana, e nada ficou no lugar…

Quando a conivência e o vil metal falam mais alto, pouco importa a vida

por Sulamita Esteliam Os mortos se contam às centenas na conta que a Vale um dia ainda há de pagar. Oficialmente já se soma 169 vítimas fatais do derrame de lama de rejeitos da mineradora em Brumadinho. Todas identificadas. A procura por desaparecidos continua, mas a essa altura não há qualquer vislumbre de possibilidade de … Mais Quando a conivência e o vil metal falam mais alto, pouco importa a vida