O maior presente é a vida, que segue…

presépio 2014 a
Meu presépio este ano, adaptado como sempre – Fotos: SE
por Sulamita Esteliam

Sou do tipo que adora festas, reunir a família, os amigos e cometer bruxarias na cozinha.

Talvez por que seja filha do verão, nascida entre o Natal e o Réveillon.

Talvez por que venho de uma família grande, que adora se reunir em torno de uma mesa ou de uma pista de dança, e ama cantoria… Não, que eu saiba não tenho ascendência italiana, mas portuguesa e espanhola, além, naturalmente, de nossos ancestrais indígenas e africanos.

Talvez por que desde menina fui ensinada a armar um presépio, herdado da tia paterna, Zélia, que é estrela desde quando eu tinha três meses.

Ainda tenho uma ou outra peça sobrevivente, e armo o presépio, todos os anos. Agora, com a desculpa de que casa de avó que se preze, tem que ter um presépio. Ainda que os netos não sejam, mais, tão frequentes.

Mas hoje meu presépio é bem eclético, e mistura artes, culturas e diversidades do nosso povo. Essa gente versátil em tirar alegria da algibeira, em quaisquer circunstâncias.  Não temos nada a ver com o clima de ódio com que tentam nos amedrontar – para domesticar.

árvore 2014
Enfeitar a casa traz boas energias

E, claro, a árvore de Natal também é sagrada. Mudo a estrutura a cada sete anos (7 é meu número de sorte e, uma senhora holística me disse, é o número de Deus). Mas os enfeites, os mais novos, têm pouco mais que a idade da nossa caçula: 21 anos.

Ano passado, tive a felicidade de reunir a família no Recife para as festas de fim de ano – uma parte já na noite de Natal. Outra a nós se juntou para o almoço no feriado, e conosco permaneceu, a maior parte, para as comemorações (assim mesmo, no plural) dos meus 60 anos, e para o Réveillon.

Casa cheia é algo sob medida para meu temperamento elétrico.

Este ano, não temos visita para as festas de fim de ano. O filho, as filhas, netos e neta, cada qual em seu canto, em diferentes pontos do Brasil ou do Planeta, cuidando das próprias vidas. Só a caçula nos acompanha.

Vamos passar o Natal em Natal. E também meu aniversário, e a virada do ano em que nossas vidas receberam a dádiva da renovação.

Temos muito, muito o que agradecer, do ponto de vista pessoal e, até mesmo, coletivo.  Foi um ano complexo, mas vencemos as adversidades, e com elas aprendemos, sempre. Espero que façamos o dever de casa.

Da capital do Rio Grande do Norte, ou arredores, vamos celebrar a chegada de 2015.

E que consigamos promover as mudanças necessárias para a consolidação da democracia.

Sob a proteção dos Anjos, do Pai e da Mãe Celestiais. E com as bençãos de Iemanjá e Ogum, que guardam o ano e toda a magia do Universo.

No que depender dos astros, o ano promete.

Que ele venha com muita energia boa, saúde, alegria, abundância e prosperidade para nossas famílias e para o nosso Brasil.

Viajamos nesta terça.

Feliz Natal! Paz e harmonia no ano que vai nascer.

Obrigada pela companhia ao longo deste 2014.

Feliz Natal
Fachada do Bar Mamulengo, onde comemorei meu aniversário ano passado

O A Tal Mineira volta no dia 05 de janeiro do ano que vem – ou a qualquer tempo, em edição extraordinária, se motivo houver o bastante …

Inté.

 

 

 

 

 

 


Um comentário sobre “O maior presente é a vida, que segue…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s