Não é só Lula e Dilma, é a democracia, estúpido!

Lula é cercado pela militância após o depoimento em Congonhas -Foto capturada no Sul21
Lula é cercado pela militância após o depoimento em Congonhas -Foto capturada no Sul21
por Sulamita Esteliam

O Brasil que dá valor à democracia, aos direitos civis e à memória do que fomos e do que somos quedou-se paralisado. A notícia: o ex-presidente Lula estava sendo preso pela Polícia Federal, logo nas primeiras horas da manhã, por determinação do Ministério Público Federal e do juiz Moro, czar da república de Curitiba.

O pretexto: obrigá-lo a depor nas investigações da Laja Jato, conduzida por aquele jovem-velho senhor, cuja presunção não tem limites. O cidadão Lula, que não dispõe mais de foro privilegiado, porque se recusou a aceitar um cargo no governo Dilma, que tem endereço certo e conhecido, e que jamais se negou a colaborar com a Justiça.

E olha que o cidadão não é qualquer Zé Povinho, é o ex-presidente da República, que deixou o governo, depois de oito anos consecutivos, com 80% de aprovação. E por conta disso fez sua sucessora, que também se reelegeu – embora esteja sendo cerceada de governar, pelas mesmas forças que desrespeitam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O problema é que o homem é O Cara, e ameaça voltar em 2018, e aí já era…

Condução coercitiva é um eufemismo para a arbitrariedade que nos atinge. É abuso de poder. Estado de exceção. Arbítrio travestido de justiça, em nome do espetáculo. Duzentos homens da Polícia Federal, vestidos com fardas camufladas, cercaram o Instituto Lula e a casa de Lula em São Bernardo do Campo, nas primeiras horas da manhã, para levá-lo a depor, e ainda dona Marisa, seus filhos, amigos e confrades de hoje e de antanho. Onde, só se soube algumas horas depois. Lula foi levado para o Aeroporto de Congonhas. Metodologia fascista.

Nem Bin Laden, comentou alguém no Twitter, creio que a deputada Manuela D’Ávila(PCdoB-RS) a propósito do aparato de guerra. Pensando bem, é guerra – e faz tempo.

Alguém lembrou na rede social: nem a república do Galeão ousou tanto (para quem não viveu, ou não sabe, porque desconhece História, ou esqueceu, foi como ficou conhecido IPM – Inquérito Policial Militar conduzido pela Aeronaútica, na Base Aérea do Galeão, no Rio, em 1954, com o objetivo de apurar o Atentado da Rua Toneleros, que acabou vitimando um major daquela arma; e terminou desencadeando uma série de acontecimentos, e pressão para a renúncia do presidente Getúlio Vargas, que o levaram ao suicídio).

Vargas, e nos depois, Jango foram golpeados moral e politicamente, mas não submetidos a tal humilhação. João Goulart foi deposto por uma coalizão civil-militar, e anos depois envenenado, conforme se provou há algum tempo. Getúlio deu um tiro no peito para entrar para a História.

Entretanto, ambos, e também JK – que mesmo tendo concordado com o golpe de 64, foi cassado, e depois “acidentado” em circunstâncias jamais esclarecidas – integravam a casa-grande, ou eram aceitos por ela. Já Lula, é o nordestino retirante. É o operário, o sindicalista, que mesmo sendo conciliador, jamais passará de sapo-barbudo, escrevi há coisa de 11 anos.

Lula e o povo_reprodução-Facebook
Lula em campanha pela reeleição em 2006. O retorno, é isso que eles temem – Foto: Ricardo Stuckert

Egresso da senzala, ousou tornar-se presidente da República, promover seus iguais ao mínimo de dignidade, reerguer a autoestima e a soberania nacional, ser reconhecido internacionalmente. Pau nele!

Os procuradores federais deram coletiva de imprensa, e tentaram explicar o inexplicável: “A condução coercitiva é para preservar a integridade física de Lula”. Então tá. Preservemos o cinismo no reino da hipocrisia.

Os indícios encontrados pelo inquérito, são de chorar:  o pedalinho com o nome dos netos no sítio de Atibaia, que não é do Lula; o triplex do Guarujá que o Lula não tem, a canoa de lata da dona Marisa. Ah, foram as doações empresariais ao Instituto Lula. Só vale para o Instituto FHC? Faça-me o favor.

O argumento mais ridículo é o preço dos honorários pagos a Lula por suas palestras no exterior, “muito superiores aos valores pagos a FHC”. Ora, ora, ora, Lula tem importância internacional jamais alcançada pelo Farol da Alexandria. Lei de mercado só vale para a casa-grande e seus apaniguados.

E por falar em mercado, o dólar caiu, a bolsa disparou, ao contrário de ontem, quando Eduardo Cunha tornou-se o primeiro réu da Lava Jato, e a IstoÉ-QuantoÉ saiu com “reportagem” sobre uma pretensa “delação” de Delcídio Amaral envolvendo Dilma e Lula. Quem é que ganha com isso? Mestre Santayana já escreveu a respeito.

Não, não é surpresa para ninguém os atos inqualificáveis desta sexta-feira, 04 de março de 2016. A marcha da carruagem juridico-policial-midiática, golpista, faz tempo deixa claro que o alvo é Lula, é Dilma, é o PT, é a esquerda. A meta única é o Golpe. Levar no tapetão o que são incompetentes para ganhar nas urnas.

Todavia, não se iludam os desavisados e os cínicos de plantão, se vingar o golpe, vai sobrar cipó de aroeira para todos nós. Eles se arranjam, como sempre se arranjaram. E quem, até lá da conchichina do oitão, hoje os aplaude, e é feliz por pagar de mané, que prepare o lombo.

A ação de hoje, especula-se, seria um teste para medir a reação popular. Se a intenção é essa, a irresponsabilidade é dobrada. Houve enfrentamento dos lados opostos em São Paulo. O povo está nas ruas, em todo o país, convocado pelo PT, pelos partidos de esquerda, pelos movimentos sociais, pela Frente Brasil Popular, pela a gente do Brasil que vale à pena  – pela democracia e contra o golpe. E a prevalecer o arbítrio, a cobra vai fumar.

Lula depôs por cerca de quatro horas. Foi liberado e à hora em que escrevo concede coletiva de imprensa na sede do PT em São Paulo.

Paro por aqui, porque preciso comer algo e seguir para o centro do Recife, onde há #Ato em Defesa da  Democracia e Contra o Golpe. Na Rua da Aurora, em frente ao Monumento Tortura Nunca mais. Em Beagá, a concentração começou ao meio dia na Praça 7 e no Sindicato dos Jornalistas, na Av. Álvares Cabral.

Mais tarde estarei de volta, espero.

Transcrevo a nota do Instituto Lula nesta manhã:

 

Violência contra Lula afronta o país e o estado de direito

04/03/2016 09:56 

logoA violência praticada hoje (4/3) contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente, é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal, e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal.

1) Nada justifica um mandado de condução coercitiva contra um ex-presidente que colabora com a Justiça, espontaneamente ou sempre que convidado. Nos últimos meses, Lula prestou informações e depoimentos em quatro inquéritos, inclusive no âmbito da Operação Lava Jato. Dezenas de testemunhas foram ouvidas sobre estes fatos alegados pela Força tarefa,  em depoimentos previamente marcados. Por que o ex-presidente Lula foi submetido ao constrangimento da condução coercitiva?

2) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do Instituto Lula e da empresa LILS Palestras. A Lava Jato já recebeu da Receita Federal, oficialmente, todas as informações referentes a estas contas, que foram objeto de minuciosa autuação fiscal no ano passado.

3) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente Lula, pois este sigilo já foi quebrado, compartilhado com o Ministério Público Federal e vazado ilegalmente para a imprensa, este sim um crime que não mereceu a devida atenção do Ministério Público.

4) Nada justifica a invasão do Instituto Lula e da empresa LILS, a pretexto de obter informações sobre palestras do ex-presidente Lula, contratadas por 40 empresas do Brasil e de outros países, entre as quais a INFOGLOBO, que edita as publicações da Família Marinho (http://www.institutolula.org/as-palestras-de-lula-a-violacao-de-sigilo-bancario-do-ex-presidente-foi-um-ato-criminoso). Todas as informações referentes a estas palestras foram prestadas à Procuradoria da República do Distrito Federal e compartilhadas com a Lava Jato. Também neste caso, o Ministério Público nada fez em relação ao vazamento ilegal de informações sigilosas para a imprensa.

5) Nada justifica levar o ex-presidente Lula a depor sobre um apartamento no Guarujá que não é nunca foi dele e sobre um sítio de amigos em Atibaia, onde ele passa seus dias de descanso. Além de esclarecer a situação do apartamento em nota pública – na qual chegou a expor sua declaração de bens – e em informações prestadas por escrito ao Ministério Público de São Paulo, o ex-presidente prestou esclarecimentos sobre o sítio de Atibaia em ação perante o Supremo Tribunal Federal, que também é de conhecimento público.

6) A defesa do ex-presidente Lula peticionou ao STF para que decida o conflito de atribuições entre o Ministério Público de São Paulo e o Ministério Público Federal (Força Tarefa), para apontar a quem cabe investigar os fatos, que são os mesmos. Solicitou também medida liminar suspendendo os procedimentos paralelos até que se decida a competência conforme a lei. Ao precipitar-se em ações invasivas e coercitivas nesta manhã, antes de uma decisão sobre estes pedidos, a chamada Força Tarefa cometeu grave afronta à mais alta Corte do País, afronta que se estende a todas as instituições republicanas.

7) O único resultado da violência desencadeada hoje pela Força Tarefa é submeter o ex-presidente a um constrangimento público. Não é a credibilidade de Lula, mas da Operação Lava Jato que fica comprometida, quando seus dirigentes voltam-se para um alvo político sob os mais frágeis pretextos.

O Instituto Lula reafirma que Lula jamais ocultou patrimônio ou recebeu vantagem indevida, antes, durante ou depois de governar o País. Jamais se envolveu direta ou indiretamente em qualquer ilegalidade, sejam as investigadas no âmbito da Lava Jato, sejam quaisquer outras.

A violência praticada nesta manhã – injusta, injustificável, arbitrária e ilegal – será repudiada por todos os democratas, por todos os que têm fé nas instituições e do estado de direito, no Brasil e ao redor do mundo, pois Lula é uma personalidade internacional que dignifica o País, símbolo da paz, do combate à fome e da inclusão social.

É uma violência contra a cidadania e contra o povo brasileiro, que reconhece em Lula o líder que uniu o Brasil e promoveu a maior ascensão social de nossa história.

A violência praticada hoje (4/3) contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente, é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal, e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal.

1) Nada justifica um mandado de condução coercitiva contra um ex-presidente que colabora com a Justiça, espontaneamente ou sempre que convidado. Nos últimos meses, Lula prestou informações e depoimentos em quatro inquéritos, inclusive no âmbito da Operação Lava Jato. Dezenas de testemunhas foram ouvidas sobre estes fatos alegados pela Força tarefa,  em depoimentos previamente marcados. Por que o ex-presidente Lula foi submetido ao constrangimento da condução coercitiva?

2) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do Instituto Lula e da empresa LILS Palestras. A Lava Jato já recebeu da Receita Federal, oficialmente, todas as informações referentes a estas contas, que foram objeto de minuciosa autuação fiscal no ano passado.

3) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente Lula, pois este sigilo já foi quebrado, compartilhado com o Ministério Público Federal e vazado ilegalmente para a imprensa, este sim um crime que não mereceu a devida atenção do Ministério Público.

4) Nada justifica a invasão do Instituto Lula e da empresa LILS, a pretexto de obter informações sobre palestras do ex-presidente Lula, contratadas por 40 empresas do Brasil e de outros países, entre as quais a INFOGLOBO, que edita as publicações da Família Marinho (http://www.institutolula.org/as-palestras-de-lula-a-violacao-de-sigilo-bancario-do-ex-presidente-foi-um-ato-criminoso). Todas as informações referentes a estas palestras foram prestadas à Procuradoria da República do Distrito Federal e compartilhadas com a Lava Jato. Também neste caso, o Ministério Público nada fez em relação ao vazamento ilegal de informações sigilosas para a imprensa.

5) Nada justifica levar o ex-presidente Lula a depor sobre um apartamento no Guarujá que não é nunca foi dele e sobre um sítio de amigos em Atibaia, onde ele passa seus dias de descanso. Além de esclarecer a situação do apartamento em nota pública – na qual chegou a expor sua declaração de bens – e em informações prestadas por escrito ao Ministério Público de São Paulo, o ex-presidente prestou esclarecimentos sobre o sítio de Atibaia em ação perante o Supremo Tribunal Federal, que também é de conhecimento público.

6) A defesa do ex-presidente Lula peticionou ao STF para que decida o conflito de atribuições entre o Ministério Público de São Paulo e o Ministério Público Federal (Força Tarefa), para apontar a quem cabe investigar os fatos, que são os mesmos. Solicitou também medida liminar suspendendo os procedimentos paralelos até que se decida a competência conforme a lei. Ao precipitar-se em ações invasivas e coercitivas nesta manhã, antes de uma decisão sobre estes pedidos, a chamada Força Tarefa cometeu grave afronta à mais alta Corte do País, afronta que se estende a todas as instituições republicanas.

7) O único resultado da violência desencadeada hoje pela Força Tarefa é submeter o ex-presidente a um constrangimento público. Não é a credibilidade de Lula, mas da Operação Lava Jato que fica comprometida, quando seus dirigentes voltam-se para um alvo político sob os mais frágeis pretextos.

O Instituto Lula reafirma que Lula jamais ocultou patrimônio ou recebeu vantagem indevida, antes, durante ou depois de governar o País. Jamais se envolveu direta ou indiretamente em qualquer ilegalidade, sejam as investigadas no âmbito da Lava Jato, sejam quaisquer outras.

A violência praticada nesta manhã – injusta, injustificável, arbitrária e ilegal – será repudiada por todos os democratas, por todos os que têm fé nas instituições e do estado de direito, no Brasil e ao redor do mundo, pois Lula é uma personalidade internacional que dignifica o País, símbolo da paz, do combate à fome e da inclusão social.

É uma violência contra a cidadania e contra o povo brasileiro, que reconhece em Lula o líder que uniu o Brasil e promoveu a maior ascensão social de nossa história.

A violência praticada hoje (4/3) contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente, é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal, e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal.

1) Nada justifica um mandado de condução coercitiva contra um ex-presidente que colabora com a Justiça, espontaneamente ou sempre que convidado. Nos últimos meses, Lula prestou informações e depoimentos em quatro inquéritos, inclusive no âmbito da Operação Lava Jato. Dezenas de testemunhas foram ouvidas sobre estes fatos alegados pela Força tarefa,  em depoimentos previamente marcados. Por que o ex-presidente Lula foi submetido ao constrangimento da condução coercitiva?

2) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do Instituto Lula e da empresa LILS Palestras. A Lava Jato já recebeu da Receita Federal, oficialmente, todas as informações referentes a estas contas, que foram objeto de minuciosa autuação fiscal no ano passado.

3) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente Lula, pois este sigilo já foi quebrado, compartilhado com o Ministério Público Federal e vazado ilegalmente para a imprensa, este sim um crime que não mereceu a devida atenção do Ministério Público.

4) Nada justifica a invasão do Instituto Lula e da empresa LILS, a pretexto de obter informações sobre palestras do ex-presidente Lula, contratadas por 40 empresas do Brasil e de outros países, entre as quais a INFOGLOBO, que edita as publicações da Família Marinho (http://www.institutolula.org/as-palestras-de-lula-a-violacao-de-sigilo-bancario-do-ex-presidente-foi-um-ato-criminoso). Todas as informações referentes a estas palestras foram prestadas à Procuradoria da República do Distrito Federal e compartilhadas com a Lava Jato. Também neste caso, o Ministério Público nada fez em relação ao vazamento ilegal de informações sigilosas para a imprensa.

5) Nada justifica levar o ex-presidente Lula a depor sobre um apartamento no Guarujá que não é nunca foi dele e sobre um sítio de amigos em Atibaia, onde ele passa seus dias de descanso. Além de esclarecer a situação do apartamento em nota pública – na qual chegou a expor sua declaração de bens – e em informações prestadas por escrito ao Ministério Público de São Paulo, o ex-presidente prestou esclarecimentos sobre o sítio de Atibaia em ação perante o Supremo Tribunal Federal, que também é de conhecimento público.

6) A defesa do ex-presidente Lula peticionou ao STF para que decida o conflito de atribuições entre o Ministério Público de São Paulo e o Ministério Público Federal (Força Tarefa), para apontar a quem cabe investigar os fatos, que são os mesmos. Solicitou também medida liminar suspendendo os procedimentos paralelos até que se decida a competência conforme a lei. Ao precipitar-se em ações invasivas e coercitivas nesta manhã, antes de uma decisão sobre estes pedidos, a chamada Força Tarefa cometeu grave afronta à mais alta Corte do País, afronta que se estende a todas as instituições republicanas.

7) O único resultado da violência desencadeada hoje pela Força Tarefa é submeter o ex-presidente a um constrangimento público. Não é a credibilidade de Lula, mas da Operação Lava Jato que fica comprometida, quando seus dirigentes voltam-se para um alvo político sob os mais frágeis pretextos.

O Instituto Lula reafirma que Lula jamais ocultou patrimônio ou recebeu vantagem indevida, antes, durante ou depois de governar o País. Jamais se envolveu direta ou indiretamente em qualquer ilegalidade, sejam as investigadas no âmbito da Lava Jato, sejam quaisquer outras.

A violência praticada nesta manhã – injusta, injustificável, arbitrária e ilegal – será repudiada por todos os democratas, por todos os que têm fé nas instituições e do estado de direito, no Brasil e ao redor do mundo, pois Lula é uma personalidade internacional que dignifica o País, símbolo da paz, do combate à fome e da inclusão social.

É uma violência contra a cidadania e contra o povo brasileiro, que reconhece em Lula o líder que uniu o Brasil e promoveu a maior ascensão social de nossa história.

 

*************

Postagem revista e atualizada às 18:13 horas: correção de erros de concordância e de digitação em diferentes parágrafos; inclusão do terceiro parágrafo e do trecho explicativo, entre parênteses sobre a república do Galeão, no sexto.


3 comentários sobre “Não é só Lula e Dilma, é a democracia, estúpido!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s