Quem não pode com a formiga não atiça o formigueiro

por Sulamita Esteliam

Acordei comovida como o diabo. E a culpa é desse vídeo, que me chegou pelo zap-zap, num grupo de feministas de Minas.  Confesso que chorei.

Estamos a um dia do julgamento do recurso de Lula à condenação do inquisidor Moro de Curitiba ao ex-presidente da República.  Outro 24, desta vez de janeiro, que vai entrar para a História do nosso País.

Só que desta vez, não haverá suicídio, como no 24 de agosto de 1954 do suicídio de Getúlio. Luiz Inácio Lula da Silva já disse que não o fará, em quaisquer circunstâncias.

Antes, ele está em Porto Alegre para o ato público desta noite, que precede o dia D.  Caravanas do Brasil inteiro rumam para a capital gaúcha em solidariedade a Lula. Depois retorna a São Paulo, à sua casa em São Bernardo, de onde acompanha o julgamento.

Tranquilo e confiante, o ex-presidente sabe o que está em jogo, e o tem repetido em suas andanças e por todos os fóruns. Em encontro com sindicalistas, que foram lhe hipotecar apoio, na segunda, ele resume história e circunstâncias:

“Esse julgamento não é contra mim e sim contra o nosso governo. O que eu quero é que façam um julgamento decente e, com base nas provas que eles tem, decretem a minha inocência.”

“Deram uma anestesia no povo. Agora estão acordando e percebendo que a cirurgia foi pior para eles. É preciso fazer uma nova cirurgia que é a eleição direta pra presidência e quem sabe uma nova constituinte. A Constituição já recebeu mais de 105 emendas, o que significa que a Constituição de 88 não existe mais.”

“Eu nem precisaria ser candidato, já fui presidente. Mas eu não posso ser alijado de uma disputa política porque os que não gostam de mim não querem que eu seja candidato.”

Quem não pode ir a Porto Alegre se mobiliza como pode, País afora.

Há vigílias em curso nos sete cantos do Brasil, desde ontem, mas principalmente a partir desta terça; pelo direito de Lula ser candidato à Presidência da República, e de o Brasil voltar a ser esperança para sua gente, de retomar a trilha democrática e de redução das abissais desigualdades.

Um Brasil para todos, e não apenas para 5% que detém a riqueza de mais da metade da população reunida. Estão aí os dados mais recentes divulgados pela Oxfam, que não nos deixam ter ilusões do que acontece neste País.

Em 2017 a circulação de riquezas piorou. O resultado é que 82% de toda riqueza produzida no mundo está nas mãos de 1%, os ricos.

Não somos exceção no Planeta. Mas como nossa elite se esforça para ocupar o olimpo da ganância e da indiferença social.

“Nossa elite não suporta democracia. E defender Lula é defender nossa democracia.”

Tomo palavras do ator pernambucano, Irandhir Santos, em saudação a Dilma e Lula, quando da passagem da Caravana Lula pelo Brasil.

Vale à pena assistir ao vídeo do ato no Pátio do Carmo. Posto a segunda metade.

Irandhir foi direto ao ponto. Agora, ouça a tradução do que o povo pensa e diz, nos versos da poesia popular, declamadas por três mulheres poetas: Isabele Moreira, do Sertão do Pajeú, Luna Vitor Lira e Flaira Ferro.

Cultura é política, e é poder.

É por tudo isso, e contra tudo que insistir em negá-lo, que o povo brasileiro, a parcela que se importa e aquela que sofre na pele o retrocesso político, econômico e social galopante, vai votar este ano. Se o golpe for estancado.

A Frente Brasil Popular publica o roteiro de atos e vigílias em Defesa de Lula e da Democracia. Clique para saber.

Aqui no Recife, a Praça Tiradentes no Cais do Apolo recebe o povo já a partir das 15 horas. Dia 24, a vigília começa logo cedo, a partir das 8:00 horas, para acompanhar o julgamento.

Quem se interessar em compreender os meandros desse processo, que é essencialmente político, pode ouvir explanações de juristas, por exemplo, que participam do debate público nesta terça. À noite, o ato se traduz em música, em cultura.

Em Beagá, o debate sobre o processo se deu na segunda à noite, quando os Juristas pela Democracia se reuniram na Faculdade de Direito da UFMG.  O ato desta noite é na Praça Afonso Arinos, a partir das 17:00 horas. A vigília na quarta acontece na Assembleia Legislativa, a partir das oito da manhã.

Aqui, só pra lembrar, a última passagem de Lula por Minas Gerais. O vídeo do encerramento da etapa mineira da Caravana Lula pelo Brasil, quando o ex-presidente reúne milhares na Praça da Estação, em Beagá:

O alternativo Brasil de Fato acompanha em tempo real a movimentação em torno do julgamento do recurso do do -ex-presidente Lula pelos três desembargadores do TRF-4, em Porto Alegre.

Vale à pena acompanhar, também, a cobertura ao vivo do alternativo local, Sul 21.

Fecho com o vídeo que circula pelas redes sociais, montado a partir de canção e poema na voz de Maria Bethânia. Outra forma de dizer o que se anuncia no título desta postagem, extraído do lema campesino, do MST: “Pisa, pisa, pisa ligeiro, quem não pode com a formiga, não atiça o formigueiro”.

 

*******

Postagem revista e atualizada às 13:47, hora do Recife: correções de erros de gramática em três parágrafos. Acréscimo de frases que reforçam o contexto e o entendimento, creio.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s