Machismo tem preço, senhor governador

vadiaspor Sulamita Esteliam

Vou mudar um tiquinho de assunto, mas sem sair da política. Resgato uma história que está meio entalada, desde ontem.

Confesso que foi a primeira vez que li algo vindo da parte do governador de Pernambuco, Paulo Câmara.  Isso depois que ele e seu partido, o PSB, se alinharam com os golpistas de primeira hora pelo impeachment, que é golpe, da presidenta Dilma Rousseff.

Para meu desprazer e de todas as mulheres do Brasil, e não apenas as pernambucanas e as que, como esta escriba, aqui residem, ele se manifestou esta semana para revelar-se um perfeito e acabado machista.

Endossou as recomendações da cartilha da PM sobre cuidados que as mulheres devem ter para evitar ser estuprada. Tipo reduzir o consumo de álcool, andar sozinha, expor-se em redes sociais – aqui, no Brasil 247, no JC On Line e no Diário de Pernambuco.

Perdeu uma excelente oportunidade de se manter calado.

Repercutiu País afora. Para isso servem as redes sociais. Pegou mal, muito mal…

Reproduz o malfadado refrão de que a culpa do estupro é das mulheres, que se expõem aos tarados de rua. Se ficassem em casa, belas e recatadas, não aconteceria. E revela que nada mudou no modo do governo de Pernambuco tratar o assunto da violência contra  mulheres e meninas, prevalecem os vapores da Casa-Grande e Senzala.

Ora, todos sabem que a maioria dos estupros acontece em família – marido, pai, irmão, tio, primo, conhecido – e as principais vítimas são meninas de até 13 anos. Pesquisa do Ipea, já citada aqui no blogue, o confirma.

Infelizmente a cultura do estupro é uma realidade que nos assombra. Mata todos os dias, porque é fruto da misoginia, da cultura da dominação. E tem que ser combatida com educação – em casa, nas escolas, em toda a sociedade – com campanhas e políticas de segurança. O Estado não pode fugir à sua responsabilidade.

Não posso imaginar que um governador seja desinformado. Então, para além do machismo explícito, é falta de senso e freio na língua, mesmo. Meu companheiro tem razão: um chefe de Estado, ainda mais jovem – e isso sou eu quem assinala -, não pode fazer declarações desse nível.

Meus botões, ademais, me perguntam aonde anda a assessoria política – nem falo de comunicação, que vem depois – do senhor governador. Quando ele diz o que disse é como se falasse para às mulheres: “Cuidem-se, pois não podem contar com a segurança pública para protegê-las. Virem-se!”

Isso, num estado que apregoa cuidado especial com a vida das pessoas. leva a pensar que a alardeada redução de violência por aqui é propaganda enganosa; para dizer o mínimo.

A Tal Mineira transcreve nota da Marcha Mundial de Mulheres à propósito – clique para ler a nota do Coletivo Ana Motenegro:

paulo-camara_n

Nota de repúdio contra as declarações machistas de Paulo Câmara

De acordo com um levantamento divulgado em 08 de junho pelo Ministério da Saúde, entre os anos de 2011 e 2015 foram registrados quase 78 mil estupros no Brasil. Só em 2016 Pernambuco já conta com mais números de estupros noticiados às autoridades competentes do que em todo o período de 2015 (são mil casos registrados apenas nesse ano). Segundo a Secretaria de Defesa Social do Estado o aumento foi de 5,3%. Necessário esclarecer que os dados fazem referência apenas aos crimes reportados pelas vítimas, ou seja, na realidade fática contamos com mais casos do que os expostos pelas autoridades.

Esses números tornaram-se ainda mais aterrorizantes nos últimos dias, quando a mídia passou a fazer a cobertura dos crimes sexuais cometidos por um estuprador em Recife (PE), que sequestra mulheres, as leva para lugares ermos e, após praticar a violência, as libera. Contudo, o temor de ser a próxima vítima é a rotina de todas as mulheres que, independentemente da classe social, sofrem, ainda, com a violência institucional da Polícia e o julgamento machista da sociedade brasileira, a qual, preferindo culpar a vítima e responsabiliza-la pela manutenção da sua segurança e da sua dignidade sexual, dignidade esta que deveria ser (porque é) intrínseca a qualquer pessoa, deixa de exercer políticas que priorizem a igualdade de gênero a fim de provocar alguma real mudança na histórica violência sofrida por todas as mulheres e que é relacionada as estruturas de poder patriarcais que fundam o nosso Estado.

A Administração Pública, e com ela todas e todos aqueles que trabalham para a manutenção da máquina pública, possui a obrigação de trabalharem com ética, compromisso e livre de qualquer forma de discriminação de gênero, de cor e de orientação sexual, simplesmente porque são guiados pela Constituição Federal de 1988 que, em seu artigo 3º, constitui como objetivo fundamental da República Federativa do Brasil a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, bem como a promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

Daí porque provoca repúdio a declaração do hoje Governador de Pernambuco, Senhor Paulo Câmara que, em meio ao contexto do golpe contra as instituições democráticas do país, deixa claro seu completo desrespeito com os compromissos da administração pública e com a manutenção do Estado Democrático de Direito, ao promover o aprofundamento da desigualdade de gênero, da discriminação e coisificação da mulher e, principalmente, da responsabilização e culpabilização da vítima.

Ao Senhor Paulo Câmara deixamos um recado: a sua preocupação deveria ser com o aprimoramento de sua gestão a fim de efetivar a segurança pública para todas as cidadãs e todos os cidadãos de Pernambuco e não a de responsabilizar as mulheres estupradas e agredidas em meio ao descaso do seu governo que, sem dialogar com os movimentos sociais e sem ouvir as exigências das ruas, assiste de braços cruzados o aumento do índice de estupros em todo o Estado.

A culpa NUNCA é da vítima.

#alcoolnaoestupra
#estupradoresestupram
#ÉpelaVidadasMulheres
#ForaTemer
#MarchaMundialdasMulheres


Um comentário sobre “Machismo tem preço, senhor governador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s