Política e o caldo de cultura no Carnaval 2018

por Sulamita Esteliam

O Brasil já está em ritmo de pré-Carnaval. Aliás, folia é algo que a pátria brasilis sabe fazer como ninguém – para o bem e para o mal. E o desgoverno et caterva estão aí para não nos deixar ter ilusões.

No entanto, refiro-me ao reinado de Momo, como catarse ansiada e merecida do Zé e da Maria Povinho. Para além da farra, a crítica política, mais do que nunca, está na ordem do dia, a mostrar que a propalada alienação não é exatamente o que parece.

Aqui em terras pernambucanas, a troça Homem da Meia Noite juntou adeptos em grande festa noite passada, de Guadalupe até o Rosário, em Bonsucesso das Olindas, para a entrega da roupa que o calunga gigante vai vestir este ano.

Famílias inteiras compareceram, unidas no propósito que, já escrevi neste blogue outras vezes, é quase uma religião. Um casal de sobrinhos, que nos visitou por esses dias, vindos de São Paulo, esteve lá com o filho de 3 anos. Voltaram encantados.

Aí a política é a da veneração – para além das origens do Zé Pereira.

Aqui, o profano está de mãos dadas com o sagrado emerso das religiões afro-brasileiras. Há quem associe o boneco a Exu, senhor da meia noite. Há quem o ligue às figuras dos “mestres” da umbanda, cuja variação de nomes e sempre precedida de “Zé”.

Fato é que uma profusão de “zés” sacodem o largo, quando o Homem da Meia Noite assome à porta da sede do bloco. Uma verdadeira catarse coletiva que pude presenciar ao longo de cinco anos que acompanhei o bloco.

Nesta quarta, em Santo Amaro do Recife, é a vez do Bloco Sapo Barbudo reunir foliões-militantes em torno da customização de camisetas. A camisa de cada um/a  sai de lá serigrafada por artistas da terra, de graça. Na sede do PT, Rua Gouvêa de Barros, 124.

Já na quinta, no Sintepe – Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco, será lançado o Comitê Metropolitano em Defesa da Democracia.

O bloco é uma iniciativa da setorial de Cultura do PT local. Dia 13 estreia nas ruas, carnavalizando o Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser Candidato.  Só que em Olinda. Concentração a partir das 15:00 horas, na Praça do Carmo.

Tem carnaval também em Fortaleza, no sábado 13, puxado pelo Bloco Tô com Lula. Concentração a partir das 9:00 horas, na Praça do Carmo.

No Rio, o dia 13 será também de Carnaval, e o povo se concentra na Praça XV, a partir das três da tarde.

A lembrar que o julgamento do recurso a jato pelo TRF-4 é dia 24, em Porto Alegre. Mas o PT e os movimentos sociais se organizam para estar em Porto Alegre em vigília a partir do dia 22.

Em Beagá, minha Macondo de origem, a agitação das prévias carnavalescas também já começou. E dia 13 tem lançamento do Comitê Popular na Praça 7, às 10:00 horas.

Mas a novidade do ano é o lançamento do Lindo Bloco do Amor, em homenagem a Gonzaguinha.  Deu-se em setembro passado, mas é o seu primeiro Carnaval.

Merecido tributo ao cantor e compositor que escolheu a capital mineira para morar nos últimos 10 anos de sua vida breve.

Aliás, o amigo Pedro Ferreira, agitador cultural da cidade, avisa que no fim de tarde do sábado 13, tem uma espécie de pré-estreia do bloco na folia, que tem a pegada de Renegado e Manu Dias. No Festival Sensualize, na Abílio Machado,  3081, no Bairro Alípio de Melo.

Um encontro pra arrepiar com dois blocos sensações do carnaval belo-horizontino: o Volta Belchior e o Unidos do Samba do Queixinho.

“Aumenta tudo, aumenta o trem
Aumenta o aluguel e a carne também
É… mas, sei, vai melhorar
Pior que tá não dá pra ficar”

Mas a minha preferida do Gonzaguinha diz assim:

“A gente não está com a bunda exposta na janela/

para passarem a mão nela.

A gente quer viver pelo direito.

A gente quer viver todo o respeito. 

A gente quer viver uma Nação.

A gente quer é ser um cidadão.

É, é, é, é, é, é é…”

 

Leio na página do coletivo Jornalistas Livres e também no Tijolaço,  que a escola de samba Paraíso do Tuiuti, do Grupo Especial do Rio Janeiro, leva à Sapucaí, no Carnaval, o golpe que desmantela o País.

Uma ala inteira com integrantes fantasiados de patos – os amarelinhos da Fiesp – envergando camisa da CBF, batendo panelas e manipulados por uma grande mão.

A ala com cerca de 100 pessoas vem dentro do enredo que questiona a reforma trabalhistas e expõe a atual situação dos trabalhadores brasileiros.

Mas tem muito mais. Transcrevo o texto de Fernando Brito, que comenta matéria publicada, ora vejam só, pelo O Globo:

Carnaval do Rio terá escola com “patos paneleiros”

por Fernando Brito – no Tijolaço

Quando algo entra na cabeça do povo, acaba saindo por sua boca.

É por isso que a Paraíso do Tuiuti, do Grupo Especial do Carnaval do Rio de janeiro terá uma ala, revela O Globo, composta de integrantes fantasiados de patos, batendo panelas, enquanto são manipulados por uma grande mão.

Sem legendas, não é?

Mas tem mais, conta o repórter Rafael Galdo:

Além disso, uma das fantasias das alas, chamada de Guerreiro da CLT, trará um trabalhador sobrecarregado com várias tarefas, tentando se proteger do que a escola chama de “exploração patronal”. Como defesa, ele usa uma carcomida carteira de trabalho como escudo.

A apoteose, porém, é o último carro alegórico, que traz um boneco gigante de Michel Temer vestido de vampiro.

Vai ser de levantar a arquibancada.

O carnavalesco Jack Vasconcelos explica o enredo “Meu Deus! Meu Deus! Está extinta a escravidão?”:

— Na alegoria de encerramento a gente faz uma reflexão sobre a situação (atual) do trabalhador no Brasil, especialmente o mais pobre que herdou a falta de preparo na hora da abolição. A escravidão fica datada. Essa relação de opressor e oprimido está aí, e as pessoas não percebem isso. 

Percebem, Jack, percebem. E é por isso que o carnaval é a catarse que é.

 

 


4 comentários sobre “Política e o caldo de cultura no Carnaval 2018

  1. Republicou isso em Gustavo Hortae comentado:
    QUAL É A SUA TURMA NESTE BACANAL? QUAL É O SEU GRUPO? NÃO, NÃO, NINGUÉM FICA DE FORA!
    > https://gustavohorta.wordpress.com/2016/05/06/qual-e-a-sua-turma-neste-bacanal-qual-e-o-seu-grupo-nao-nao-ninguem-fica-de-fora/

    Qual é a sua turma neste bacanal? Qual é o seu grupo? Não, não, ninguém pode ficar de fora! Qual é o seu grupo nesta orgia? Voluntário, predador, oportunista ou esculachado, esculhambado, arregaçado? Nem pense que seja possível ficar de fora. Não ha fora quando tudo é dentro. Não tem lado de fora, não se vê nenhuma saída!…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s