Ninguém fica imune à presença de Lula

por Sulamita Esteliam

Ganhei uma abraço do Lula ontem. Estava no elevador de serviço do hotel onde se realiza o IV Encontro de Blogueiros, “sujos”, e Ativistas Digitais. Duas garotas, de um outro evento, junto. Eis que no andar onde fica o restaurante, a porta se abre e damos de cara com o ex-presidente.

– Ói, o Lula, que coincidência feliz … – balbuciei.

Seus acompanhantes, dentre eles o ex-ministro da saúde do governo Dilma, Alexandre Padilha, candidato ao governo de São Paulo pelo PT, hesitaram por um segundo. Lula, com o largo sorriso que carrega, feito tatuagem, tomou a dianteira, e os outros três o seguiram, acomodando-se como possível.

Fiquei meio que espremida no canto direito do elevador. E Lula, talvez para me compensar, passou o braço por trás das minhas costas, e puxou-me junto a si. Claro que não ofereci a menor resistência. Em compensação, emudeci.

Um das garotas, que há pouco vociferava contra uma colega de trabalho, remota, que lhe reservara um dia a menos de estadia, o que a obrigaria a passar o domingo “naquela roça de Limeira”, abriu seu sorriso de moça e não perdeu tempo:

– Lula, por favor, deixe-me tirar uma foto com o senhor…

– Claro, mas quem vai bater?

– Eu mesma – e cruzou o exíguo espaço para posicionar-se ao lado do ex-presidente, desfazendo o nosso abraço, colou o rosto na face de Lula e esticou o braço esquerdo. Grudei-me no cantinho, feito lagartixa na parede – no caso, alcochoada.

– O pessoal agora tá com mania desse tal de … – comentou Lula

Selfie… -,  emendou alguém.

– … Isso, selfie.

A emoção, talvez, ou a exiguidade do espaço,  interferiu na destreza da menina, e o Padilha compareceu para executar o serviço.

Nesse meio tempo, o elevador parou no 13. A porta se abriu e fechou sem que ninguém se manisfestasse. A foto, enfim, foi batida, as meninas desceram no 17, e Lula e companheiros, então, cederam passagem para mim.

– Vou com vocês até o 18, um passeiozinho não me fará mal, e estou em boa companhia.

Lula olhou para mim.

– O meu era o 13… – sorri.

– E ela ficou quietinha…! – disse o Padilha.

– Não é ? – retorquiu Lula, e acionou o 13, enquanto se despedia com um tapinha no meu braço e o sorriso maroto.

– Sou mineira… ainda consegui dizer.

No andar onde desembarcou, outro fã esperava o ex-presidente. Pude ver e ouvir, antes que a porta do elevador se fechasse:

– Lula, que coincidência boa…! Olha, quero fazer uma pergunta que ninguém fez para você…

Ri da situação, que, para Lula, certamente é rotineira e ele tira de letra.

Mais tarde, cruzei com o rapaz no corredor do salão de convenções, e ele me contou radiante:

– Você estava no elevador com o Lula, né? Pois você não vai acreditar: tirei foto com ele, cara, duas, você sabe o que é isso?

– Imagino.

– Você não tirou?

– Não.

– Não acredito!

– Meu celular estava descarregado. Estava indo ao quarto, justamente, pegar o carregador…

Lula no IV Blogprog -  Foto:   Ricardo Stuckert/Instituto Cidadania/Fotos Públicas
Lula no IV Blogprog – Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Cidadania/Fotos Públicas

 

Sim, Lula passou o dia no hotel que abriga o IV BlogProg. Veio para palestra no meio da manhã, que atraiu um batalhão da imprensa. Um séquito de políticos o esperava no evento: o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o senador por São Paulo, Eduardo Suplicy, o presidente estadual do PT e ex-prefeito de Osasco, Emídio Souza, Arthur Henrique, secretário Municipal de Governo e ex-presidente da CUT, dentre outros.

O ex-presidente chegou irradiando bom humor, e com a língua afiada, como sempre. Fez o que melhor sabe, e ama, fazer: política.

Começou jogando para o auditório lotado, com mais de três centenas de blogueiros e ativistas sociais: “Não sabia que vocês despertavam tanto interesse na imprensa. Número igual ao que está aqui só mesmo na cobertura da Copa.”

Em seguida, provocou: “Gosto do muito da imprensa. A imprensa me trata sempre muito bem. Só que quando eu critico, dizem ‘Lula ataca a imprensa’; quando me atacam, dizem que é crítica. Mas eu não ligo, e isso deixa a imprensa mais brava”.

Depois confessou: “Nunca tive depressão na minha vida. Mas fiquei quase deprê com a violência com que setores da mídia trataram a entrevista que dei para os blogueiros no Instituto Lula de Cidadania.

‘Quem é essa Conceição (Lemes, editora do Vi o Mundo) que entrevista o Lula e eu não consigo…?’ Ora, digo que não tenho nenhum cargo público, e dou entrevista para quem eu quiser.”

Cumprimentou a blogosfera e os movimentos sociais pela vitória na aprovação do Marco Civil para a internet. E emendou o recado: “Não é tudo, mas conseguimos. Neutralidade é uma conquista que um dia alcançará os meios de comunicação no Brasil”.

Fez um mea culpa pelo que deixou de fazer enquanto esteve presidente da República: “Hoje estou mais consciente da briga pela comunicação do que ontem. Amanhã estarei mais consciente do que hoje”.

Valeu-se, como sempre, das metáforas: “É como um pé de fruta: eu, o governo, o partido estamos amadurecendo para fazer o debate sobre a regulação dos meios de comunicação no país. A nossa, como diz o Franklin (Martins, ex-secretário de Comunicação do seu governo), a nossa é do tempo em que havia mais televizinho do que televisor.”

Lembrou que países-símbolo da liberdade de imprensa e expressão já fizeram o dever de casa: Inglaterra, União Europeia, Portugal, França, Espanha e até os Estados Unidos; além da Argentina, do Equador e do Uruguai. Falta o Brasil.

Caso de esta escriba observar. Nessa hora não baixa o complexo de vira-latas tão caro à casa-grande e seus capatazes.

E Lula assinalou: “Não são governos esquerdistas. São países-símbolos da democracia e da liberdade de imprensa. Faço questão de frisar, para depois não dizerem que eu quero censura. Quero neutralidade, e respeito ao direito de cidadania que tem o expectador, ouvinte, leitor, internauta de ser informado.”

E avisou: “Posso prometer uma coisa a vocês: a partir de agora, toda vez que eu abrir a minha boca, a necessidade de regulamentar os meios de comunicação está presente em minha fala.”

A blogosfera e cidadania brasileira agradecem.

Mais sobre Lula e o Encontro de Blogueiros nas próximas postagens. Agora vou ao desjejum, que estou famélica.

 

 

 

 

 

 

 


8 comentários sobre “Ninguém fica imune à presença de Lula

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s